"farsa eleitoral"

Venezuela: oposição diz que centros de votação ficaram abertos após horário

Falando em nome da recém-criada coalizão da Frente Ampla, o parlamentar da oposição Juan Pablo Guanipa disse que 'hoje não era um processo eleitoral em que as pessoas pudessem votar livremente'

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 20/05/2018 às 22:45
Foto: LUIS ROBAYO / AFP
Falando em nome da recém-criada coalizão da Frente Ampla, o parlamentar da oposição Juan Pablo Guanipa disse que 'hoje não era um processo eleitoral em que as pessoas pudessem votar livremente' - FOTO: Foto: LUIS ROBAYO / AFP
Leitura:

Uma coalizão de oposição da Venezuela diz que o presidente do país, Nicolás Maduro, está tentando inflacionar seu número de votos ao manter centros de votação abertos horas após o fechamento oficial para esconder o que qualifica de "farsa" eleitoral de absenteísmo em massa nas eleições presidenciais de domingo.

Falando em nome da recém-criada coalizão da Frente Ampla, o parlamentar da oposição Juan Pablo Guanipa disse que "hoje não era um processo eleitoral em que as pessoas pudessem votar livremente". Guanipa diz que a eleição "foi uma farsa de um ditador que quer permanecer no poder sem apoio popular".

Alguns centros de votação foram mantidos abertos muito além do horário programado, e as autoridades eleitorais ainda não divulgaram os resultados da eleição. Muitos centros de votação na Venezuela pareciam estar quase vazios no domingo. Parte dos eleitores, que sofrem com a escassez de alimentos e hiperinflação, atendeu ao chamado para boicotar o pleito no país.

Estimativas

Estimativas internas de oposição com base em uma rápida contagem de votos em uma amostra de centros de votação obtidos pela Associated Press colocam o comparecimento em 40%. Se confirmado, seria o menor desde que a democracia da Venezuela foi restaurada em 1958, após a remoção do ditador militar Marcos Perez Jimenez

Guanipa pediu novas eleições nas quais todos os candidatos, incluindo aqueles barrados pelo governo de Maduro no pleito de domingo, possam concorrer. Fonte: Associated Press.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias