BALANÇO

Sobe para 149 número de mortos em atentado no Paquistão

Reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), o atentado foi o terceiro contra um comício na mesma semana no Paquistão

AFP
AFP
Publicado em 15/07/2018 às 22:04
Foto: ABDUL MAJEED / AFP
Reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), o atentado foi o terceiro contra um comício na mesma semana no Paquistão - FOTO: Foto: ABDUL MAJEED / AFP
Leitura:

O balanço do atentado da última sexta-feira (13) em um comício eleitoral no Paquistão subiu para 149 mortos, tornando-se o segundo mais sangrento na história do país - anunciaram as autoridades neste domingo (15).

Reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), o atentado foi o terceiro contra um comício na mesma semana no Paquistão. No total, 175 pessoas morreram nesses ataques ocorridos em quatro dias. Entre as vítimas, estão dois candidatos às eleições legislativas de 25 de julho.

Na lista de mortos, estão o candidato Siraj Raisani e nove crianças com idades entre 6 e 11 anos, declarou neste domingo um alto funcionário do governo, Qaim Lashari, acrescentando que 70 feridos continuam internados. Cinco continuam em estado crítico.

Atentado mais letal

O atentado mais letal na história do Paquistão foi contra uma escola de Peshawar, no noroeste, em 2014, e deixou mais de 150 mortos.

Em 2007, 139 pessoas morreram em outro atentado contra um comício político da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, em Karachi, sul do país.

Um dos candidatos mais bem posicionados para a eleição de 25 de julho, o ex-campeão de críquete e líder do partido PTI, Imran Khan, seguiu neste domingo para Quetta. Capital do Baluquistão, a cidade fica a cerca de 40 quilômetros de Mastung, onde aconteceu o atentado suicida de sexta-feira.

"Isso é uma imensa tragédia", declarou ele em uma entrevista coletiva na qual convocou Exército, polícia e autoridades civis a unirem seus esforços para evitar mais atentados.

Seu rival Shahbaz Sharif, à frente de outra importante sigla para as próximas eleições, o PML-N, também foi para o lugar do ataque.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias