Síria

Sem paz na Síria existe risco de 'guerra perpétua' no Oriente Médio, diz chanceler francês

'Incidentes recentes mostram que o risco de uma guerra regional é muito real', afirmou o chanceler Le Drian

Jennifer Thalis
Jennifer Thalis
Publicado em 24/09/2018 às 20:08
Foto: Nazeer AL-KHATIB / AFP
'Incidentes recentes mostram que o risco de uma guerra regional é muito real', afirmou o chanceler Le Drian - FOTO: Foto: Nazeer AL-KHATIB / AFP
Leitura:

O ministro de Relações Exteriores francês, Jean-Yves Le Drian, alertou nesta segunda-feira (24) que a região em torno da Síria corre o risco de viver uma "guerra perpétua" se o país no alcançar a paz.

"É da responsabilidade de (presidente sírio) Bashar al-Assad, mas também daqueles que o apoiam, encontrar uma solução política (...). Caso contrário, corremos o risco de mudar para uma forma de guerra perpétua na área", disse Le Drian em uma coletiva de imprensa à margem da Assembleia Geral da ONU, em Nova York. 

O incidente recente, que levou à destruição de uma aeronave militar russa pela defesa antiaérea síria depois de uma incursão israelense na Síria, é prova disso, acrescentou o ministro das Relações Exteriores. 

"Hoje há cinco exércitos enfrentando uns aos outros na Síria e incidentes recentes mostram que o risco de uma guerra regional é muito real", afirmou Le Drian. 

Acordo

De acordo com o ministro francês, o acordo russo-turco de estabelecer uma zona desmilitarizada na província de Idlib (noroeste) - último reduto rebelde e extremista - é uma "oportunidade" para evitar uma catástrofe humanitária "maciça", mas sua implementação ainda é incerta.

"Esse acordo abre um espaço para a diplomacia, mas não termina a guerra nem em Idlib nem na Síria", afirmou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias