ÁFRICA

Por falta de candidatos, Argélia tem eleições presidenciais suspensas

A votação deveria permitir a eleição do sucessor do presidente Abdelaziz Bouteflika, que renunciou em 2 de abril, após a forte pressão dos manifestantes e das Forças Armadas

AFP
AFP
Publicado em 02/06/2019 às 10:30
Notícia
Foto: RYAD KRAMDI / AFP
A votação deveria permitir a eleição do sucessor do presidente Abdelaziz Bouteflika, que renunciou em 2 de abril, após a forte pressão dos manifestantes e das Forças Armadas - FOTO: Foto: RYAD KRAMDI / AFP
Leitura:

O Conselho Constitucional da Argélia considera "impossível" organizar eleições presidenciais em 4 de julho e rejeitou as duas únicas candidaturas apresentadas até o momento.

"O Conselho Constitucional rejeita as duas candidaturas apresentadas e anuncia, portanto, a impossibilidade de celebrar as presidenciais em 4 de julho", anunciou a televisão estatal.

A votação deveria permitir a eleição do sucessor do presidente Abdelaziz Bouteflika, que renunciou em 2 de abril, após a forte pressão dos manifestantes e das Forças Armadas.

O Conselho Constitucional afirmou que corresponde ao atual presidente "convocar novamente a comissão eleitoral e finalizar o processo eleitoral até a escolha do (novo) presidente da República e o juramento de seu mandato".

Protestos

Desde 22 de fevereiro, os argelinos protestam nas ruas, em particular em Argel, para pedir uma mudança de sistema político no país.

Últimas notícias