SÍRIA

Dezoito civis, entre eles um jornalista, morrem em bombardeios na Síria

O fotógrafo e cinegrafista Anas al Dyab, de 22 anos, morreu devido a bombardeiros russos

AFP
AFP
Publicado em 21/07/2019 às 20:36
Notícia
Foto: AFP
O fotógrafo e cinegrafista Anas al Dyab, de 22 anos, morreu devido a bombardeiros russos - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Um total de 18 civis, entre eles um repórter cidadão que colaborou com a Agence France-Presse, morreram em ataques aéreos na região de Idlib, noroeste da Síria, anunciaram neste domingo (21) o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) e a organização humanitária Capacetes Brancos.

Anas al Dyab, fotógrafo e cinegrafista de 22 anos, morreu como consequência de bombardeios russos sobre Jan Cheikhun, na província de Idlib, indicaram ambas as organizações. O ODSH acrescentou que outros 17 civis, incluindo sete crianças, morreram em outros ataques no domingo. 

Alvo de contínuos ataques aéreos desde o fim de abril, Jan Cheikhun se tornou um povoado fantasma, e milhares de seus habitantes fugiram.

Lamentos

Mas Anas "escolheu ficar com seus colegas", segundo os Capacetes Brancos, e morreu enquanto "tentava mostrar ao mundo o que está acontecendo na Síria", disse Raed Saleh, diretor dos Capacetes Brancos.

"A Defesa Civil síria lamenta a queda do herói Anas al Dyab", anunciaram no Twitter os Capacetes Brancos, dos quais foi voluntário.

Morreu como resultado de "três ataques aéreos russos enquanto documentava o bombardeio aéreo de sua cidade de Jan Sheikhun esta manhã", disse a organização. 

Desde o fim de abril, o regime de Bashar al Assad e sua aliada Rússia intensificaram o bombardeio desta província e mais de 600 civis morreram, segundo o OSDH.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias