TRANSTORNO

Japão emite alerta máximo e evacuação de 670 mil pessoas por inundações

Chuvas torrenciais atingem o sudoeste do arquipélago

Agência Brasil e AFP
Agência Brasil e AFP
Publicado em 29/08/2019 às 7:40
Foto: JIJI PRESS / AFP
Chuvas torrenciais atingem o sudoeste do arquipélago - FOTO: Foto: JIJI PRESS / AFP
Leitura:

As autoridades lançaram nesta quarta-feira um alerta e ordenaram a evacuação de 670 mil pessoas nas províncias japonesas de Saga, Fukuoka, Nagasaki, Shimane, Oita e Yamaguchi diante de chuvas torrenciais e inundações no sudoeste do arquipélago, onde duas pessoas morreram.

Na província de Saga, ordens foram emitidas para as localidades de Imari, Takeo, Arita e Omachi; na província de Fukuoka, para as localidades de Kurume, Asakura e Toho; na província de Nagasaki, para as cidades de Sasebo e Matsuura; e na província de Yamaguchi, para a cidade de Ube.

Fatalidades

Em Shiga, um homem morreu quando seu carro foi arrastado pela água, segundo um funcionário local.

Um idoso morreu afogado em circunstâncias similares em Fukuoka, quando tentava salvar seu veículo da inundação, segundo as autoridades locais.

O porta-voz do governo Yoshihide Suga revelou que outra pessoa em Saga se encontra em "parada cardiorrespiratória", expressão utilizada no Japão para descrever uma morte não confirmada oficialmente por um médico.

Providências

A partir dos dados disponíveis, as autoridades locais determinaram a evacuação voluntária de cerca de 670 mil pessoas, e recomendaram o deslocamento de até um milhão de pessoas.

Quem considera perigoso demais abandonar o local em que esteja é instruído a se deslocar para alguma área segura no interior do prédio em que se encontre.

Os canais de TV exibiram imagens de bairros inteiros inundados por água e lama, com veículos quase totalmente submersos.

"O risco de desastre é extremamente elevado", declarou em entrevista coletiva um funcionário da agência nacional de meteorologia.

"Observamos níveis inéditos de chuva nas cidades para as quais emitimos alertas especiais. É preciso adotar o máximo de precaução", declarou o especialista Yasushi Kajiwara.

A região mais afetada é Kyushu (ilha do sudoeste), em particular os departamentos de Saga, Nagasaki e Fukuoka.

Últimas notícias