ORIENTE MÉDIO

''Deus, nós confiamos em você''. O que diz o Twitter no Irã e Iraque após ataque de Trump

Um ataque aéreo dos EUA matou o comandante das Forças Quds, uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã nessa quinta, no Iraque

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 03/01/2020 às 10:45
Notícia
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
FOTO: Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Leitura:

Após a morte do comandante das Forças Quds, uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã, o general Qassem Soleimani, em um bombardeiro no Aeroporto Internacional de Bagdá na noite dessa quinta-feira (2), internautas iraquianos e iranianos usaram as redes sociais para comentar sobre os recentes episódios dos quais seus países foram palco.

>>Chefe da guarda revolucionária do Irã é morto no Iraque

>> Ataque de Trump ao Irã vai impactar no preço do combustível, afirma Bolsonaro

No Twitter, um iraquiano afirmou não estar feliz com o caso que toma seu país. "Não estou feliz com o caos que vive o meu país, não estou feliz com a falta de soberania do país", escreveu ele.

Diante do momento vivido pelo Iraque, outro usuário do Twitter escreveu que confia em Deus e pede sua proteção de todo o infortúnio que acontece na região.

>> Iranianos protestam na capital do Irã contra os "crimes" dos Estados Unidos

>> Is principais reações no Irã após a morte de Soleimani, ordenada por Trump

Outro internauta iraquiano também pede que Deus dê segurança ao Iraque e ao seu povo e os livre da guerra e do sangue.

Foto: ATTA KENARE / AFP
Iranianos choram durante protesto contra a morte de Qasem Soleimani - Foto: ATTA KENARE / AFP
Foto: Aamir QURESHI / AFP
No Paquistão, protestantes queimam a bandeira dos Estados Unidos - Foto: Aamir QURESHI / AFP
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Na Índia, protestante segura imagem do presidente iraniano Hassan Rouhani em ato contra os EUA - Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Foto: ATTA KENARE / AFP
Mulheres iranianas participam de protesto contra 'crimes americanos' no Teerã - Foto: ATTA KENARE / AFP
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
- Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Foto: AHMAD AL-RUBAYE / AFP
Bandeira dos Estados Unidos posta no chão para os carros passarem em Bagdá, capital do Iraque - Foto: AHMAD AL-RUBAYE / AFP
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
No cartaz, o poderoso general Qasem Soleimani, morto em bombardeio dos Estados Unidos nessa quinta - Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Protesto na Índia, Ásia - Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP
Protestantes seguram cartazes contra EUA e Israel após ataque que provocou morte do general iraniano - Foto: TAUSEEF MUSTAFA / AFP

'Guerra ideológica'

Um iraniano afirmou que o Irã foi ameaçado por guerra ideológica. "Temos que lutar em Teerã", escreveu o internauta no microblog.

Outros iranianos afirmaram que o aeroporto de Bagdá se tornou base de espionagem dos EUA e publicaram textos com a hashtag #HardRevenge, que em tradução livre é vingança severa. 

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias