Religião

Festa da Lavadeira e religiões afro

Líder convoca seguidores de religiões afro para protestar contra proibições

Bará Brito
Bará Brito
Publicado em 27/04/2011 às 16:38
Leitura:

Nós, religiosos do Candomblé, Jurema e Umbanda do Estado de Pernambuco, estamos indignados com o tratamento que vem sendo dado ao caso da Festa da Lavadeira Celebração e Festejos às Lavadeiras, que ocorre na Praia do Paiva sempre em 1º de Maio).

Este evento traz para nosso povo não só um resgate da religiosidade, como também retrata a luta de mulheres e jovens em busca do sustento dos seus. Grandiosa e soberba, a Festa da Lavadeira vinha, ao longo dos anos, trazendo nossos Tambores, Reis e Rainhas de Maracatu, Afoxés, e tantas outras Manifestações Populares, para cantar seu sirè, suas loas em louvor aos nossos ancestrais.

Hoje, nos deparamos com o preconceito, discriminação e ganância dos poderosos que descobriram naquele local uma fonte de riqueza material, onde se tem a pretensão de ser erguidos prédios e casas para a classe A, como são conhecidos os ricos financeiramente falando. Sem contar que pensa-se também em transformar nossa Festa da Lavadeira Tradicional - com seus Ritmos e Culturas Populares, em eventos interestaduais trazendo leituras musicais de outros Estados.

É importante ressaltar que, nada temos contra a cultura dos nossos co-irmãos, mas Pernambuco tem a sua e, por conseguinte, o que queremos é que este Estado, filho de um país laico e democrático olhe para os seus pares e dê poder a esta que é a sua cultura. Festa da Lavadeira, patrimônio, tradição e cultura fazendo história em Pernambuco e no mundo.

Por isso, nesta quarta haverá uma reunião importantíssima: às 19h, no Clube de Engenharia-Madalena (por trás do mercado). A exemplo dos nossos ancestrais, resistiremos. Nossa undiade fará toda a diferença.

 

Últimas notícias