campanha

PT quer Dilma com 'mais emoção' e 'menos números'

Segundo os dirigentes a imagem de Dilma na televisão é muito "fria"

Karol Albuquerque
Karol Albuquerque
Publicado em 05/09/2014 às 17:51
Foto: AFP
Segundo os dirigentes a imagem de Dilma na televisão é muito "fria" - Foto: AFP
Leitura:

Adequações no discurso e na estratégia dos programas televisivos é uma das principais reivindicações dos dirigentes nacionais do PT, que se reuniram em São Paulo nesta sexta-feira (5) para traçar um panorama do cenário político atual e definir ações da campanha da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff. 

De acordo com alguns dirigentes, o atual discurso da presidente está muito centrado em números o que dificulta uma assimilação do eleitor das realizações do governo, em uma crítica a linha adotada pelo marqueteiro João Santana. "Não há necessidade de tantos números. São conquistas boas, mas as pessoas têm que fazer a relação disso (com o governo). É preciso estabelecer um diálogo mais coloquial com o eleitor", avaliou o deputado Raul Pont (RS). 

Segundo os dirigentes a imagem de Dilma na televisão é muito "fria". "Defendemos algo com mais emoção", afirmou o deputado Durval Ângelo. 

Em relação a estratégia para combater a candidatura de Marina Silva (PSB) foi defendido que é preciso atacar mais a sua política e não a sua pessoa. "Marina representa um novo que já nasce velho", disse Angelo. 

Também foi feita a avaliação de que o PT não conseguiu "entender bem o movimento de junho passado" e que o governo deveria ter enfrentado melhor "a briga pela reforma política". 

Ao chegar para reunião, o presidente do partido, Rui Falcão, disse que nesta reta final de campanha o partido deverá intensificar as ações na rua. "É rua, rua, rua, mobilização, energia e caminhar para a vitória", disse. 

No fim do dia é esperado que o partido divulgue uma resolução com a análise da conjuntura atual.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias