campanha presidencial

PT pede empenho de militância em plenária no Recife

Ato aconteceu no auditório do Sindicato dos Bancários e terminiu na rua, devido a quantidade de pessoas

Mariana Araújo
Mariana Araújo
Publicado em 10/10/2014 às 5:57
Foto: Fábio Jammal/Divulgação
Ato aconteceu no auditório do Sindicato dos Bancários e terminiu na rua, devido a quantidade de pessoas - FOTO: Foto: Fábio Jammal/Divulgação
Leitura:

Depois da baixa votação do PT no Estado e a ofensiva de Aécio Neves (PSDB) no Estado, o partido renuiu, na noite dessa quinta-feira (9), a militância em uma plenária no Sindicato dos Bancários. O auditório foi insuficiente para o número de pessoas e a Rua Manoel Borba foi ocupada.  O objetivo foi chamar às ruas os petistas para a campanha de Dilma Rousseff (PT) neste segundo turno. Hoje, às 16h, o partido promove uma caminhada no Centro, a partir do Parque 13 de Maio. Também haverá panfletagem na UFPE. Outros atos estão previstos, como reuniões com movimentos sociais e de mulheres. 

O coordenador da campanha de Dilma no Estado, o senador Humberto Costa (PT) falou sobre a estratégia de trazer o ex-presidente Lula e Dilma a Pernambuco. O partido quer que a dupla venha duas vezes ao Estado até o segundo turno, mas irá depender da agenda. Recife, Caruaru e cidades da são prioritárias, onde Dilma não teve votação expressiva. “Lula quer vir na próxima semana”, afirmou Humberto Costa.

Nomes como os deputados federais Pedro Eugênio, que não se reelegeu, e João Paulo, que perdeu a disputa ao Senado, pediram empenho da militância. O líder do MST no Estado, Jaime Amorim, falou em unidade dos sindicatos rurais em prol de Dilma. Paulo Rubem (PDT), candidato a vice da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Paulo Rubem (PDT) também esteve no ato.

“Nós vamos fazer dois movimentos: de agitação e visibilidade, avaliamos que faltou isso no primeiro turno, e de reversaõ de voto, com reuniões e de porta a porta”, disse a presidente do PT-PE, Teresa Leitão sobre a estratégia do partido. Também foi solicitado mais material de campanha.

Enquanto o evento acontecia, foram divulgadas as pesquisas Ibope e Datafolha, que deram empate técnico entre os dois candidatos.  “Eu acho muito bom o empate técnico enquanto eles falaram que Aécio tinha aberto uma frente. Ele já pegou o embalo dele e agora nós vamos pegar o nosso”, disse Humberto Costa. “Dilma efetivamente cresceu. Saiu dos 40% do primeiro turno para 49%. Temos um empate técnico muito positivo para uma campanha que mal começou”, acrescentou Teresa Leitão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias