ELEIÇÕES 2018

PSB aposta na TV para reverter rejeição de Paulo Câmara

Com 4 minutos e 30 segundos no guia eleitoral, PSB vai defender governo Paulo Câmara

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 04/08/2018 às 8:35
Foto: Roberto Pereira/divulgação
Com 4 minutos e 30 segundos no guia eleitoral, PSB vai defender governo Paulo Câmara - FOTO: Foto: Roberto Pereira/divulgação
Leitura:

O PSB deve aproveitar a vantagem alcançada no guia eleitoral de rádio e TV para tentar reverter a rejeição de parte do eleitorado ao governador Paulo Câmara. A avaliação no partido é que o governo não conseguiu comunicar o trabalho realizado no primeiro mandato, mas que é possível explicar ao eleitor que a crise econômica teve efeito sobre as promessas feitas há quatro anos. Os socialistas já testaram essa estratégia há dois anos, durante a reeleição do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB); que ajudará na coordenação da campanha do governador.

Com o PT de volta a Frente Popular e a garantia do MDB dentro da sua aliança, Paulo Câmara deve ter 4 minutos e 30 segundos em cada bloco do horário eleitoral gratuito; de acordo com a estimativa do analista político Maurício Costa Romão. Essa vantagem vai se repetir em inserções que entrarão na programação ao longo do dia.

“O tempo de televisão é importante para qualquer coisa. Em um processo político-eleitoral ele tem uma dimensão muito importante porque a gente entra na casa das pessoas. A gente conversa diretamente com o eleitor. O governo de Paulo foi diferenciado do restante do Brasil. Um governo que garantiu prioridades históricas do nosso campo e avanços significativos em várias áreas, em todas as regiões do Estado. Isso vai ser mostrado e debatido com a sociedade. Vai ser explicitado”, explicou Sileno Guedes, presidente do PSB de Pernambuco.

Promessa de fazer mais

A estratégia deve incluir o uso do guia eleitoral para comparar as histórias e, principalmente, os aliados de Paulo Câmara e Armando Monteiro. O espaço também será aproveitado para mostrar ações do governo que o partido acredita que não chegaram ao conhecimento da população. A sigla deve argumentar nos vídeos que será possível fazer mais nos próximos quatro anos porque o primeiro mandato foi atrapalhado pela crise no País.

“Eu tenho certeza que a medida em que isso for mostrado e for chegando ao conhecimento da população de uma forma geral, as pessoas vão ter a compreensão de que o melhor caminho para Pernambuco é continuar com esse campo político que tem um compromisso muito forte com a transformação política na vida das pessoas”, argumenta Sileno Guedes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias