ENTREVISTA

Paulo Guedes descarta possibilidade de ser superministro de Bolsonaro

O economista Paulo Guedes disse que não há salvador da Pátria

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 24/08/2018 às 14:24
Foto: Agência Brasil
O economista Paulo Guedes disse que não há salvador da Pátria - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O economista Paulo Guedes, um dos principais nomes da equipe do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), descartou a possibilidade de ser um superministro em um eventual governo do candidato. Em entrevista ao programa Central das Eleições, da GloboNews, na noite de quinta-feira (23) o economista disse ainda que não há salvador da Pátria.

"Não existe 'posto Ipiranga', salvador da Pátria. Isso é uma construção coletiva", afirmou Guedes, em referência à maneira como Bolsonaro o chama publicamente, já que o consulta quando o assunto é economia.

Paulo Guedes é ex-sócio do Pactual (hoje BTG) e do Ibmec, e atual sócio da Bozano Investimentos. Ele é o responsável por formular o programa econômico do candidato do PSL.

Na entrevista, Guedes também descartou a ideia de ser um superministro. "O economista vai propor coisas duras, o presidente vai dar uma amaciada e depois, quando ele for negociar com o Congresso, vão dar outra amaciada", disse.

Segundo ele, o resultado final seria um projeto diferente do que o economista propôs e do que o Congresso queria. "Como sempre aconteceu, é a história do Brasil."

Déficit público

No programa, Guedes comentou ainda sobre projetos para educação, agricultura, previdência e apresentou ideias para reduzir o déficit público.

Ele defendeu também a venda de empresas estatais. "A União tem que vender ativo. A Petrobras vende refinaria. E o governo pode vender a Petrobras, por que não?", questionou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias