ENTREVISTA

Temer entrou na campanha de Armando, diz Paulo Câmara

Paulo Câmara (PSB) foi o primeiro candidato ao governo a ser entrevistado pela TV Jornal

Paulo Veras
Paulo Veras
Publicado em 30/08/2018 às 12:48
Imagem: reprodução da TV Jornal
Paulo Câmara (PSB) foi o primeiro candidato ao governo a ser entrevistado pela TV Jornal - FOTO: Imagem: reprodução da TV Jornal
Leitura:

O governador Paulo Câmara (PSB) afirmou no início da tarde desta quinta-feira (30) que o presidente Michel Temer (MDB) entrou na campanha do senador Armando Monteiro Neto (PTB) ao afirmar durante entrevista para a Rádio Jornal ressaltando o apoio do socialista ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O governador foi o primeiro candidato ao governo do Estado a ser sabatinado por Graça Araújo no programa TV Jornal Meio-Dia, da TV Jornal.

"Na verdade, o presidente Temer mostrou que apoia o Armando Monteiro, que apoia a turma dele que está com Armando Monteiro. E fez um grande desserviço a Pernambuco porque quis confundir os eleitores. O presidente Temer ontem entrou na campanha do Armando Monteiro de uma maneira muito clara", afirmou Paulo Câmara.

O governador afirmou que a partir de 2019 terá na presidência um governo diferente que vai ajudar Pernambuco e voltou a defender a candidatura ao Palácio do Planalto do ex-presidente Lula (PT), que está preso após condenação na Operação Lava Jato. "Nós temos um lado aqui em Pernambuco. Estamos do lado de Miguel Arraes, de Eduardo Campos. Sempre apoiamos o presidente Lula e vamos continuar apoiando. Do outro lado está o Armando Monteiro que representa o atraso. Está com os ministros de Temer no seu palanque e está com o apoio explícito do presidente Temer. Ontem foi colocado claramente. O presidente Temer ontem, ao invés de se preocupar com o Brasil e de trabalhar pelo Brasil, foi trabalhar pela campanha do Armando Monteiro", declarou.

Delegacias

Durante a entrevista, o governador Paulo Câmara voltou a afirmar que todas as delegacias do Estado devem funcionar 24 horas. O socialista disparou contra o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco, que acusou de ser "eleitoreiro".

"Nós fizemos a contratação de 800 policias civis e de 400 policiais da Polícia Científica. Nunca na história de Pernambuco tivemos delegados em todas as delegacias do nosso Estado. Um delegado, seis agentes e um escrivão em todas as delegacias. As delegacias são para funcionar 24 horas. A que não tiver funcionando, a população tem que dizer onde é que não está funcionando. Porque a nossa Corregedoria vai atuar. O que nós não podemos é utilizar como a gente vê muitas denúncias, principalmente do sindicato, que tem cunho eleitoreiro. O próprio presidente do Sindicato (dos Policiais Civis, Áureo Cisneiros) é candidato a deputado. E isso é querer mostrar um desserviço a polícia. Pelo contrário, a polícia está trabalhando muito. É só ver os últimos oito meses de redução no número de homicídios e de roubo no nosso Estado", disparou.

Hospitais

Após a chamada de uma matéria sobre problemas nos hospitais públicos do Estado, o governador garantiu que as unidades de saúde estão sendo bem cuidadas e disse ter feito investimentos em toda a rede durante o primeiro mandato. Ele lembrou as inaugurações da UPAE de Ouricuri e do Arruda. Prometeu inaugurar nesta sexta-feira (31) o Hospital São Sebastião, em Caruaru, e entregar no mês de setembro a UPAE de Abreu e Lima. "A conjuntura é de 160 mil pernambucanos que deixaram de ter plano de saúde e procuraram a rede pública do Estado. Mas nós avançamos. Nesses últimos três anos ampliamos em 10% todos os procedimentos de cirurgias, de exames, de consultas", assegurou.

"Lógico que não está bom (o atendimento). A gente não esconde a realidade de jeito nenhum. Agora, nós estamos trabalhando, avançando. O Hospital Geral do Sertão está sendo iniciado a construção. A fundação já foi feita. Começam as obras físicas. É um hospital que vai diminuir e encurtar as distâncias entre quem mora no Sertão em cerca de 300 quilômetros. Vai ser um hospital de referência que vai ajudar Caruaru, que vai ajudar a Região Metropolitana. Porque as pessoas não vão precisar mais vir do interior para cá. Vão ter um hospital de referência no Sertão. Todo esse planejamento nós fizemos. Fizemos o serviço em vários hospitais regionais. E estamos trabalhando muito para evitar essa superlotação", disse Paulo Câmara.

Últimas notícias