ARTIGO

Paulo Câmara: 'Por que quero governar Pernambuco'

Em artigo, o governador Paulo Câmara (PSB) explica os motivos que o levaram a tentar a reeleição

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 06/10/2018 às 14:08
Foto: Andréa Rêgo Barros / Divulgação
Em artigo, o governador Paulo Câmara (PSB) explica os motivos que o levaram a tentar a reeleição - FOTO: Foto: Andréa Rêgo Barros / Divulgação
Leitura:

A pedido do JC, candidatos ao Governo de Pernambuco escreveram seus motivos para ocupar o Palácio do Campo das Princesas no próximo dia 1º de janeiro de 2019. 

Armando Monteiro: 'Por que quero governar Pernambuco'

Lossio, Rands, Dani e Simone: saiba por que eles querem governar Pernambuco

PAULO CÂMARA

"Governar Pernambuco é a mais honrosa missão que um homem público pode aspirar. Com sua sabedoria, o povo pernambucano já atribuiu esta imensa responsabilidade a grandes personagens de nossa história. Barbosa Lima Sobrinho, Agamenon Magalhães, Miguel Arraes de Alencar e Eduardo Campos – para citar apenas alguns deles – foram exigidos no limite de suas competências e capacidades e, com determinação e disposição para o sacrifício, definiram os paradigmas do cargo.

É assim – como uma tarefa irrecusável, muitas vezes pesada, mas sempre dignificadora – que compreendo o papel de um governador. Alguém escalado para cuidar com dedicação, discernimento e coragem dos destinos de milhões de cidadãos, sempre atento aos anseios daqueles que mais precisam do apoio do poder público. Sem vaidade, orgulho ou qualquer outro sentimento menor, mas com muita serenidade e vontade de trabalhar.

Já fui distinguido com a escolha para governar o Estado de 2015 até hoje, e estou novamente me dirigindo ao nosso povo para pedir a recondução. Em meio à maior crise vivida pelo Brasil, mantivemos Pernambuco de pé. Tivemos a coragem para fazer tudo o que precisava ser feito e continuar avançando na melhoria da qualidade dos serviços públicos essenciais, como a educação, a saúde e a segurança pública.

Sou candidato à reeleição porque sei que fizemos muito, mas que a tarefa ainda não está concluída. Sou candidato porque me sinto preparado, disposto, confiante de que não estarei sozinho um minuto sequer, contando, como contei a cada momento no primeiro mandato, com a solidariedade da nossa gente e a confiança desse enorme conjunto de forças políticas, econômicas e sociais chamado Frente Popular de Pernambuco. Consciente do legado histórico que represento. Confiante de que seremos julgados pelo que construirmos para o futuro.

Nosso objetivo, agora, é virar a página da crise e recolocar Pernambuco na rota do crescimento. Não apenas crescer a base econômica, que é muito importante, mas crescer principalmente na capacidade de gerar mudanças na qualidade de vida de todos e de cada um dos pernambucanos. Aumentar a oferta de oportunidades de trabalho e aprofundar ainda mais a nossa educação, reconhecida como a melhor do Brasil. Cuidar da segurança, no campo e na cidade, e investir para qualificar nossas infraestruturas de abastecimento de água, transporte, enfim, de todas as áreas que dão suporte à economia e à vida das pessoas.

Sei que Pernambuco não é uma ilha. As dificuldades do cenário econômico brasileiro condicionaram e vão continuar influenciando nosso dia a dia aqui no Estado. Mas nós estamos preparados para continuar puxando a fila dos que vão vencer a crise. Estamos prontos, treinados na escassez para chegar na frente numa nova etapa de prosperidade e de vida melhor para todos.
Peço aos pernambucanos que confiem em nós, na Frente Popular de Pernambuco e em sua própria capacidade de enfrentar os desafios do presente construindo um futuro melhor para todos."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias