CENTRÃO

Solidariedade oficializa neutralidade no segundo turno

Apesar da neutralidade, a maioria do partido deve apoiar Fernando Haddad (PT) nos estados

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 10/10/2018 às 16:43
Fotos: AFP
Apesar da neutralidade, a maioria do partido deve apoiar Fernando Haddad (PT) nos estados - FOTO: Fotos: AFP
Leitura:

O Solidariedade, partido do Centrão presidido pelo deputado Paulo Pereira, oficializou nesta quarta-feira (10) que o vai se manter neutro na disputa pelo segundo turno das eleições nacionais.

Segundo Paulinho da Força, que apoiou a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno, a executiva sigla vai fazer uma "defesa intransigente da democracia e da Constituição" nesse segundo turno. "Achamos que o Brasil está dividido e que isso não é bom para o País. Então optamos pela independência e por liberar os dirigentes a apoiar quem quiserem."

Apesar da neutralidade, a maioria do partido deve apoiar Fernando Haddad (PT) nos Estados. Mais cedo, a Força Sindical, principal base do Solidariedade, acompanhou outras seis centrais e declarou apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT). Segundo elas, Bolsonaro tem um programa contra os trabalhadores.

Tendência

Com o anúncio, o Solidariedade seguiu tendência observada nos demais partidos do Centrão pela neutralidade no segundo turno. Entre os cinco partidos, apenas o PRB tomou lado no segundo turno, o do candidato do PSL. PP, PR e DEM liberaram suas lideranças locais para agirem conforme os arranjos estaduais.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias