Eleições 2018

#Caixa2DoBolsonaro é o assunto mais comentado mundialmente no Twitter

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, empresários teriam financiado campanha de Bolsonaro para disparar mensagens no WhatsApp contra o PT

Felipe Amorim
Felipe Amorim
Publicado em 18/10/2018 às 17:42
Foto: Agência Câmara
Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, empresários teriam financiado campanha de Bolsonaro para disparar mensagens no WhatsApp contra o PT - FOTO: Foto: Agência Câmara
Leitura:

Nesta quinta-feira (18), o ambiente político brasileiro se viu envolto a mais uma polêmica dias antes da eleição que definirá o futuro presidente do Brasil. Desta vez, segundo o jornal Folha de S.Paulo, empresários favoráveis a Jair Bolsonaro (PSL) estariam financiando uma campanha pelo WhatsApp para disparar mensagens em massa contra o PT, do candidato Fernando Haddad. A prática, que é ilegal, pois trata-se de doação de campanha por empresa - o que é vedado pela legislação eleitoral -, também se caracteriza como Caixa 2. Rapidamente, a hashtag #Caixa2DoBolsonaro virou ficou em primeiro lugar no trending topics do Twitter a nível mundial durante a tarde.

A hashtag #Bolsolão é o quarto assunto mais citado na rede social, seguido por #MarqueteirosDoJair. Já #CiroXHaddad, em referência à afirmação do candidato do PT sobre eventual anulação da candidatura de Jair Bolsonaro e a entrada de Ciro Gomes no segundo turno, ocupa a oitava posição dos trends mundiais.

Ainda segundo a reportagem da Folha de S.Paulo, cada contrato girava na casa dos R$ 12 milhões.

Confira algumas das menções no Twitter

 

 

 

 

 

 

PT cobra posicionamento da Justiça Eleitoral

Reagindo à manchete da edição desta quinta-feira (18) do jornal Folha de S.Paulo, que revela empresas bancando o disparo de mensagens contra o PT pelas redes sociais, o partido emitiu uma nota cobrando um posicionamento da Justiça Eleitoral. Para a legenda, a prática configura crime de caixa dois por parte da campanha de Jair Bolsonaro (PSL).

"É uma ação coordenada para influir no processo eleitoral, que não pode ser ignorada pela Justiça Eleitoral nem ficar impune", diz a nota assinada pela Executiva do PT, que pediu na Quarta-feira (17) à Polícia Federal uma investigação sobre a disseminação de supostas notícias falsas pela campanha de Bolsonaro.

O partido diz que está tomando todas as medidas judiciais para que Bolsonaro responda "por seus crimes, dentre eles o uso de caixa 2, pois os gastos milionários com a indústria de mentiras não são declarados por sua campanha."

A legenda do presidenciável Fernando Haddad pretende entrar ainda nesta quinta-feira com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir providências.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias