ENTREVISTA

'O tempo vai fazer bem', diz João Campos sobre vaias ao PSB

Paulo Câmara e Geraldo Julio receberam vaias em atos de Haddad no Recife

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 26/10/2018 às 18:46
Foto: Sérgio Bernardo / JC Imagem
Paulo Câmara e Geraldo Julio receberam vaias em atos de Haddad no Recife - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo / JC Imagem
Leitura:

Após o governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), terem recebido vaias no ato de campanha do candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) no Recife, o deputado federal eleito João Campos (PSB) disse esperar que parte dessas pessoas que vaiaram os socialistas “não atrapalhem” a eleição do candidato petista.

Para o filho do ex-governador Eduardo Campos, o foco tem que ser a campanha de Haddad e que o tempo vai aparar as arestas com a militância. “Acho que a nossa preocupação agora é a eleição de Fernando Haddad. Tomara que alguma parte dessas pessoas não atrapalhe a eleição de Fernando Haddad. Paulo Câmara foi eleito no primeiro turno, eu fui eleito com a maior votação da história de Pernambuco. E agora a nossa luta é para eleger Fernando Haddad e acho que o tempo vai fazer bem a todo mundo”, afirmou João Campos.

O socialista se mostrou confiante na vitória de Haddad ao ser questionado se o PSB anunciaria logo após uma eventual vitória do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) no domingo (28) a postura de oposição ao governo bolsonarista. “A eleição só se ganha no dia e a nossa expectativa é que o povo brasileiro vá eleger Fernando Haddad presidente do Brasil”, disse.

PREFEITURA DO RECIFE

Eleito com 460.387 mil votos para a Câmara Federal, Campos está cotado para assumir uma pasta na gestão do governador Paulo Câmara (PSB). O movimento faria com que ele liderasse o que poderia se tornar uma vitrine, visando à disputa da Prefeitura do Recife em 2020. Perguntado sobre a possibilidade, o jovem político afirmou que a decisão passa pelo conjunto do partido e a liderança de Paulo Câmara. O governador deve avançar com a reforma do secretariado apenas em dezembro.

“Eu fui eleito como deputado federal. Eu faço parte do PSB e a gente não trabalha olhando para o próprio umbigo. A gente trabalha sempre pensando no conjunto, que aqui é liderado pelo governador Paulo Câmara. Então, acho que, no tempo certo, nós vamos ter as conversas e entender com o nosso grupo qual é o melhor caminho a se seguir”, destacou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias