mensalão

Rosa Weber condena Valério e outros quatro do núcleo publicitário

Para ministra, está comprovado que Marcos Valério, seus ex-sócios e a diretora da SMP&B praticaram o crime de corrupção ativa

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 04/10/2012 às 18:29
Foto: José Cruz/ABr
Para ministra, está comprovado que Marcos Valério, seus ex-sócios e a diretora da SMP&B praticaram o crime de corrupção ativa - FOTO: Foto: José Cruz/ABr
Leitura:

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber votou pela condenação por corrupção ativa no processo do mensalão do empresário Marcos Valério, de seus ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, da diretora financeira da SMP&B, Simone Vasconcelos, e do advogado das agências, Rogério Tolentino. Ela absolveu apenas Geiza Dias, ex-funcionária da agência.

Este grupo de réus, segundo o Ministério Público, formaria o núcleo publicitário da organização criminosa do esquema do mensalão. Para Rosa, está comprovado que Marcos Valério, seus ex-sócios e a diretora da agência praticaram o crime de corrupção ativa ao repassar recursos a parlamentares de PP, PTB, PMDB e PL (atual PR).

Em relação a esses réus, ela detalhou apenas seu posicionamento relativo a Rogério Tolentino porque este foi o único caso no núcleo publicitário em que houve divergência entre o relator, Joaquim Barbosa, e o revisor, Ricardo Lewandowski. Ela optou pela condenação, seguindo Barbosa, por entender que Tolentino atuou dolosamente ao realizar um empréstimo fraudulento que abasteceu o esquema e ao participar de reuniões na corretora Bônus Banval, que repassou recursos ao PP. Diferente dos outros acusados, Tolentino é acusado de corrupção apenas em relação a este partido.

Além de Geiza Dias, a ministra já anunciou também o voto pela absolvição de Anderson Adauto, ex-ministro dos Transportes do governo Lula. Ele foi acusado de auxiliar na compra do voto do ex-deputado Romeu Queiroz (PTB-MG), mas já tinha a absolvição defendida por Barbosa e Lewandowski.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias