PT

Dividido, PT avalia manifesto contra a "politização" do julgamento do mensalão

Na reunião desta quinta-feira (1), em São Paulo, executiva nacional também avaliará o resultado das eleições municipais

Ana Lúcia Andrade
Ana Lúcia Andrade
Publicado em 01/11/2012 às 10:58
Leitura:

BRASÍLIA - A primeira manifestação oficial e pública do PT, depois da condenação dos petistas no processo do mensalão, analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), deverá apontar procedimentos adotados pelos ministros para concluir que o julgamento não foi democrático. A Executiva nacional do partido se reúne nesta quinta-feira (1) em São Paulo para avaliar o resultado das eleições municipais e divulgar uma nota sobre os petistas condenados.
"Vamos construir uma nota na linha de que será respeitada a decisão do STF e falar da politização do julgamento", antecipou o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (PT-SP), integrante da Executiva nacional.

O PT considera que houve mudança do rito adotado pelo Supremo em julgamento de processos anteriores, identifica excessos na fixação da pena dos réus e opinião de sobra dos ministros fora do processo. A nota também deve cobrar o julgamento do processo de mensalão envolvendo o PSDB de Minas Gerais nos mesmos critérios e com tratamento similar. "Vamos ressaltar que criaram um precedente perigoso", acrescentou Tatto.

O secretário de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PT-SP), é contra a elaboração da nota. 'Nós temos de avaliar a campanha, fazer uma avaliação do resultado eleitoral. A fase é de balanço da disputa. Mesmo com todos os ataques que sofremos, somos vencedores. Não temos de trazer uma pauta negativa para nós. O clima (na Executiva) é de fazer uma reunião de avaliação de campanha. Só", recomendou Vargas.

Leia mais sobre o mensalão na página 6

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias