rumo a 2014

Aécio volta a chamar Bolsa Família de 'peça eleitoreira'

Senador apresentou projeto de lei que objetiva manter por até seis meses o pagamento do Bolsa Família a beneficiários que conseguirem emprego

Rafael Carvalheira
Rafael Carvalheira
Publicado em 06/11/2013 às 17:29
Leitura:

O presidente nacional do PSDB, o senador mineiro Aécio Neves, apresentou nesta quarta-feira (6) um projeto de lei que objetiva manter por até seis meses o pagamento do Bolsa Família a beneficiários que conseguirem emprego. "É um estímulo para que as pessoas que recebem o benefício possam se reinserir no mercado de trabalho", destacou o possível candidato da sigla ao Planalto na manhã desta quarta, após participar de reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O senador voltou a classificar o programa como "peça eleitoreira e instrumento para estatísticas oficiais". "Um dos problemas que constatamos é que pais de família, mesmo com uma oferta de trabalho, têm receio de amanhã eventualmente serem demitidos e terem que voltar ao programa e não conseguirem rapidamente sua reinserção", disse.

Para Aécio, falta ao Bolsa Família estratégias para tirar em definitivo as pessoas da miséria e qualificá-las para entrar no mercado de trabalho. Com base nisso, ele deve apresentar ainda outras propostas "para que haja um esforço maior do que existe hoje para a qualificação daqueles beneficiários do Bolsa Família e um acompanhamento maior". 

O projeto vem uma semana depois que o tucano apresentou uma proposta para tornar definitivo o programa de transferência de renda, a principal bandeira do PT. O texto, que ainda não começou a percorrer as comissões temáticas do Senado, altera a lei que trata da assistência social e vincula o Bolsa Família ao Fundo Nacional de Assistência Social, com recursos garantidos da Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS).

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias