Rumo a 2014

Eduardo diz que, sem Dilma, preferiu enviar secretário à reunião dos prefeitos

Governador fala sobre sua ausência do encontro de Gravatá e também comenta nova pesquisa Datafolha

Beatriz Albuquerque
Beatriz Albuquerque
Publicado em 02/12/2013 às 12:10
JC Imagem
Governador fala sobre sua ausência do encontro de Gravatá e também comenta nova pesquisa Datafolha - FOTO: JC Imagem
Leitura:

O governador Eduardo Campos (PSB) atribuiu a sua ausência no multirão ministerial que ocorre nesta segunda-feira (2), em Gravatá, à não participação da presidente Dilma Rousseff (PT). “Se a presidente Dilma Rousseff tivesse vindo eu iria“, garantiu o governador.

Às 9h, no mesmo horário da abertura do evento que previa a participação do socialista, o governador cumpriu agenda administrativa na reinauguração do Centro Integrado Amaury Medeiros (Cisam), na Encruzilhada. Os rumores de que o Governo Federal cobraria a paternidade das obras no Estado foram negados pelo presidenciável. “Não existe isso”, afirmou o governador.

O multirão está sendo coordenado pela ministra de Relações Institucionais da Presidência, Ideli Salvatti (PT), e reune técnicos de 12 ministérios para atender os prefeitos pernambucanos. Para representá-lo, o governador Eduardo Campos enviou o secretário da Casa Civil e nome cotado à sucessão estadual, Tadeu Alencar (PSB).

Durante a agenda administrativa no Cisam, Eduardo também comentou os resultados da última pesquisa do DataFolha, na qual ele aparece com menos 4% das intenções de votos em relação à pesquisa anterior - estava com 15% e ficou com 11%, atrás da presidente Dilma (PT,47%) e do senador Aécio Neves (PSDB, 19%). O governador preferiu ver os resultados como uma “inversão do sentido do vento”.

Para o socialista os números continuam apontando que os brasileiros, diferentemente das eleições passadas, desejam um governo de renovação. “Há um forte desejo de mudança nunca visto há um ano da eleição, 66% da população deseja mudança”, disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias