CPI da Petrobras

Depoimentos deixam Planalto em clima tenso

Declarações serão um "prato cheio" para o candidato do PSDB, Aécio Neves, usar na propaganda da TV

Danilo Galindo
Danilo Galindo
Publicado em 10/10/2014 às 10:27
Foto: Pedro França/Agência Senado
Declarações serão um "prato cheio" para o candidato do PSDB, Aécio Neves, usar na propaganda da TV - FOTO: Foto: Pedro França/Agência Senado
Leitura:

Causaram muita preocupação no Planalto e no comando da campanha de Dilma Rousseff os depoimentos do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef à Justiça Federal. Em conversas reservadas, integrantes da equipe da presidente disseram ter certeza de que os áudios dos depoimentos serão um "prato cheio" para o candidato do PSDB, Aécio Neves, usar na propaganda da TV. 

Os petistas mostraram apreensão com o impacto das denúncias, principalmente porque agora se ouve a voz do delator, e acreditam que as acusações podem ter potencial tão explosivo como o mensalão. Dilma estava em Aracaju quando soube dos vídeos e baixou a lei do silêncio. Na tarde de ontem, nenhum coordenador da campanha nem ministros falaram sobre as denúncias de corrupção. 

O presidente do PT, Rui Falcão, e o tesoureiro do partido, João Vaccari, divulgaram notas repudiando com veemência as declarações de Costa. A candidata do PT à reeleição foi aconselhada a reagir "à altura", partindo para o confronto público com Aécio, que já chama o escândalo de "petrolão", termo usado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. 

A campanha do tucano, por sua vez, decidiu não abordar as novas denúncias na noite de ontem, no primeiro programa de TV do 2.º turno, mas vai incluir o tema nas próximas propagandas de dez minutos e nos comerciais diários, a partir de hoje.

Dilma vai responder aos ataques no primeiro debate com Aécio, na próxima terça-feira, na TV Bandeirantes.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias