LAVA JATO

Cabral chega ao Rio de Janeiro e segue para o Complexo de Bangu

O ex-governador deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 10h deste sábado

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 17/12/2016 às 13:49
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
O ex-governador deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 10h deste sábado - FOTO: Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil
Leitura:

O ex-governador do Rio Sérgio Cabral Filho (PMDB) chegou ao Rio de Janeiro no início da tarde deste sábado (17). O peemedebista deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 10h e será transferido de volta para o Complexo de Bangu, no Rio, após decisão do desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). 

Sérgio Cabral foi capturado em 17 de novembro pela Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato. Preso, foi levado para o Complexo de Bangu, no Rio. Após suspeita de irregularidades nas visitas, o juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio, ordenou a transferência de Sérgio Cabral para Curitiba. No Paraná, o peemedebista é alvo de um mandado de prisão preventiva expedido pelo juiz federal Sérgio Moro.

A decisão do desembargador federal Abel Gomes atende pedido da defesa de Cabral. O magistrado ordenou "o imediato retorno" do ex-governador ao Presídio Pedro Werling de Oliveira, no Rio. "Sem prejuízo de que as autoridades Judiciárias, do Ministério Público e da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) prossigam na apuração das infrações eventualmente ocorridas durante as visitações pretéritas, bem como o prosseguimento no controle da manutenção da disciplina interna, com a aplicação das proporcionais sanções disciplinares cabíveis, na forma da LEP, que é o estatuto também aplicável ao preso provisório, no que couber", ordenou o desembargador.

Na última terça-feira, um dos advogados de Cabral afirmou que a transferência dele foi desnecessária e atingiu o direito de defesa. O advogado Raphael Mattos disse ainda que a decisão contrariou a lei uma vez que o ex-governador deveria ficar próximo de sua família. O peemedebista é alvo em duas ações penais: uma na Lava Jato, no Paraná, e outra na Calicute, no Rio.

PROPINA

O juiz federal Sérgio Moro abriu ação penal ontem, 16, contra o ex-governador por propina de pelo menos R$ 2,7 milhões da empreiteira Andrade Gutierrez, entre 2007 e 2011, referente as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras. Sérgio Cabral é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

A Procuradoria da República, no Rio, denunciou Sérgio Cabral por associação criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro. O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal, do Rio, aceitou a denúncia. Sérgio Cabral é acusado por 164 atos de lavagem de dinheiro e 49 de corrupção passiva.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias