Planalto

Em dia de Greve Geral no Brasil, Temer diz que não recuará de reformas

Em nota, Temer realizou comentários sobre as manifestações ocorridas no país e lamentou ''fatos isolados de violência''

JC Online
JC Online
Publicado em 28/04/2017 às 19:53
Foto: Beto Barata/PR
Em nota, Temer realizou comentários sobre as manifestações ocorridas no país e lamentou ''fatos isolados de violência'' - FOTO: Foto: Beto Barata/PR
Leitura:

O presidente Michel Temer divulgou uma nota no início da noite desta sexta-feira (28) na qual comenta as manifestações que protestam contra as reformas Trabalhista e da Previdência, ambas propostas pelo Governo. No texto, Temer lamenta os "fatos isolados de violência" que ocorreram nos atos do Rio de Janeiro e afirma que seguirá com as reformas propostas no Congresso.

>>> Confira como foram as manifestações no Recife

"Infelizmente, pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente. Fatos isolados de violência também foram registrados, como os lamentáveis e graves incidentes ocorridos no Rio de Janeiro", afirma a nota enviada pelo Planalto.

O comunicado afirma ainda que o governo seguirá com o planejamento envolvendo as reformas no Congresso. "O trabalho em prol da modernização da legislação nacional continuará, com debate amplo e franco, realizado na arena adequada para essa discussão, que é o Congresso Nacional", afirma o texto.

Em vídeo, Temer afirma que reforma da Previdência "não irá retirar direitos"

Em um vídeo publicado em sua página oficial no Facebook, Temer voltou a negar que a Reforma da Previdência irá retirar os direitos dos trabalhadores. Ele ainda afirmou que a medida "é um caminho apresentado para salvar a Previdência do colapso para os aposentados e para os jovens que irão se aposentar no futuro". Veja no vídeo abaixo a declaração do presidente:

Confira a nota oficial enviada pelo Planalto:

Nota oficial
As manifestações políticas convocadas para esta sexta-feira ocorreram livremente em todo país. Houve a mais ampla garantia ao direito de expressão, mesmo nas menores aglomerações. Infelizmente, pequenos grupos bloquearam rodovias e avenidas para impedir o direito de ir e vir do cidadão, que acabou impossibilitado de chegar ao seu local de trabalho ou de transitar livremente. Fatos isolados de violência também foram registrados, como os lamentáveis e graves incidentes ocorridos no Rio de Janeiro.

O governo federal reafirma seu compromisso com a democracia e com as instituições brasileiras. O trabalho em prol da modernização da legislação nacional continuará, com debate amplo e franco, realizado na arena adequada para essa discussão, que é o Congresso Nacional. De forma ordeira e obstinada, o trabalhador brasileiro luta intensamente nos últimos meses para superar a maior recessão econômica que o país já enfrentou em sua história. A esse esforço se somam todas as ações do governo, que acredita na força da unidade de nosso país para vencer a crise que herdamos e trazer o Brasil de volta aos trilhos do desenvolvimento social e do crescimento econômico.

Michel Temer
Presidente da República

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias