RIO DE JANEIRO

Eike Batista não tem como pagar fiança, diz advogado

Com o aumento do bloqueio de bens, que antes era de R$ 162 milhões, para R$ 900 milhões, empresário poderá voltar à prisão

JC Online
JC Online
Publicado em 16/05/2017 às 16:22
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Com o aumento do bloqueio de bens, que antes era de R$ 162 milhões, para R$ 900 milhões, empresário poderá voltar à prisão - FOTO: Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Leitura:

Com o aumento do bloqueio de bens, de R$ 162 milhões para R$ 900 milhões, Eike Batista não terá como pagar a fiança de R$ 52 milhões e deverá voltar à cadeia nesta quarta-feira (17). A informação foi confirmada pelo advogado do empresário, Fernando Martins, nesta terça-feira (16); um dia antes da data limite fixada pela justiça para o pagamento.

"Existe sim (a possibilidade de prisão). É muito difícil esse pagamento. Todos os bens dele estão bloqueados. Vamos encaminhar pedido de reconsideração para que possamos reverter", afirmou a defesa. "Parece que existe uma intenção de que ele fique preso. É uma expropriação isso que está sendo feito", afirmou o advogado ao portal G1.

Nessa sexta-feira (12), O reexame do bloqueio de bens foi feito pela juíza federal Rosália Monteiro Figueira, da 3ª Vara Federal Criminal. No mesmo dia, o juiz Marcelo Bretas determinou o pagamento da fiança para que Eike voltasse para casa em até três dias.

Prisão

O empresário, que é réu no processo da Operação Eficiência, um desdobramento da Lava Jato, é acusado de pagar US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral.

Eike chegou a ser preso preventivamente em janeiro, mas foi solto no fim do mês passado. Agora, ele precisa pagar a fiança estipulada até esta quarta-feira (17) para não voltar à prisão.

Últimas notícias