REPERCUSSÃO

''O que importa é o plenário'', diz Michel Temer em relação à reforma trabalhista

Com a votação apertada, o governo foi encurralado pela mudança repentina de peças fundamentais para a aprovação da medida em comissão nesta terça-feira (20)

JC Online
JC Online
Publicado em 20/06/2017 às 15:56
Beto Barata/PR
Com a votação apertada, o governo foi encurralado pela mudança repentina de peças fundamentais para a aprovação da medida em comissão nesta terça-feira (20) - FOTO: Beto Barata/PR
Leitura:

Ao comentar a derrota do governo na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), nesta terça-feira (20), o presidente da República Michel Temer disse que o que importa mesmo "é o plenário", onde será definido a aprovação ou não da proposta da Reforma Trabalhista. Por 10 votos a 9, os deputados governistas foram derrotados na votação do relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), e Temer fez questão de comentar a sessão mesmo estando na Rússia, cumprindo agenda oficial.

>>> Humberto Costa diz que Temer sofreu maior derrota

"Isso é muito natural, passa por várias comissões, ganha em uma comissão, perda na outra. O que importa é o plenário, portanto é uma etapa, só. Aliás vocês se recordam que no caso da Câmara dos Deputados, houve um momento que a urgência não chegou a ser votada e depois foi pro plenário, ganhamos com muita facilidade. Então agora vai ao plenário, e lá o governo vai ganhar", disparou o peemedebista.

Votos

Com a votação apertada, o governo foi encurralado pela mudança repentina de peças fundamentais para a aprovação da medida na comissão. O senador Otto Alencar (PSD-BA), contrário à reforma, votou como suplente de Sérgio Petecão (PSD-AC), que estava ausente. Helio José (PMDB-DF) e Eduardo Amorim (PSDB-SE) foram os outros dois votantes que garantiram a rejeição do texto.

O placar esperado pelo governo era de 11 votos favoráveis e 9 contrários, segundo o líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR). Ele já anunciou que manterá na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) o relatório anteriormente aprovado na CAE.


Mesmo rejeitada na CAS, a matéria agora segue para a CCJ, onde será votada antes de ir á votação final no plenário da Casa.

Comemoração

Mesmo com a certeza que a votação definitiva é a do plenário, senadores da oposição comemoram a primeira derrota do governo após a avalanche de acusações do empresário Joesley Batista. Em vídeo no Facebook, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) compartilhou o momento em que parlamentares comemoram aos gritos de "Fora Temer".

 

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias