CURITIBA

Conselho do MPF aprova orçamento de R$ 1,6 mi para a Lava Jato

O valor corresponde ao que os procuradores da força-tarefa pediram para a Procuradoria-Geral da República

JC Online
JC Online
Publicado em 25/07/2017 às 16:15
Foto: ANTÔNIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL
O valor corresponde ao que os procuradores da força-tarefa pediram para a Procuradoria-Geral da República - FOTO: Foto: ANTÔNIO CRUZ/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Os membros do Conselho Superior do Ministério Público Federal (MPF) aprovaram, nesta terça-feira (25), o orçamento de R$ 1.650.000.00 milhão para a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. A proposta representa um aumento mais do que o triplo na previsão inicial de valores que seriam repassados ao grupo, que era de R$ 522.655,00. 

A proposta de aumentar a previsão orçamentária da força-tarefa da Lava Jato foi apresentada durante a reunião pelo vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada, que propôs um remanejamento dos recursos. Para incrementar a previsão da força-tarefa da Lava Jato, foi preciso deslocar recursos da Secretaria Geral.

Em resposta à Raquel Dodge, que irá assumir a Procuradoria-Geral da República (PGR) em setembro, Rodrigo Janot explicou que "não houve redução de estimativa orçamentária para a força-tarefa da Lava Jato". Para justificar, Janot assinalou o método que tem sido praticado pelo MPF em relação aos recursos destinados à operação. "A Força-tarefa é renovada anualmente por portaria do PGR e por isso o referencial monetário é atribuído para período correspondente (...) o referencial monetário estabelecido (em 2017) foi de R$ 501.637,00, e após a portaria que prorrogou as atividades, realizou-se a complementação necessária", pontuou.

Valores

O valor corresponde ao que os procuradores da força-tarefa pediram para a Procuradoria-Geral da República. Mas a previsão inicial da PGR era de R$ 522 mil - reajuste de 4,19% em relação ao valor destinado em 2017, de R$ 501 mil. Só que em 2017 houve um valor extra de R$ 500 mil, o que permitiu à Força Tarefa um orçamento de R$ 1 milhão neste ano.

O montante, que seria retirado da Secretaria de Concursos, após sugestão de Raquel Dodge, ficou acertado de ser retirado da Secretaria Geral.

Últimas notícias