CÂMARA DOS DEPUTADOS

Fufuca fará 'maratona' de votações no 1º dia como presidente da Câmara

André Fufuca assumiu o comando da Casa por conta da viagem do presidente Michel Temer à China

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 29/08/2017 às 15:05
Foto: Luis Macedo/Agência Câmara
André Fufuca assumiu o comando da Casa por conta da viagem do presidente Michel Temer à China - FOTO: Foto: Luis Macedo/Agência Câmara
Leitura:

O deputado André Fufuca (PP-MA) afirmou nesta terça-feira (29) que fará uma "maratona" de votações em seu primeiro dia como presidente interino da Câmara. Segundo vice-presidente, ele assumiu o comando da Casa por conta da viagem do presidente Michel Temer à China.

Segundo Fufuca, a previsão é que os três destaques da Medida Provisória que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP), nova taxa de juros para empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), sejam votados nesta terça (29), e, em seguida, seja convocada uma sessão do Congresso para aprovar a mudança da meta fiscal para 2017 e 2018.

Para a mudança da meta ir para o plenário, no entanto, os parlamentares precisam antes conseguir analisar os vetos que trancam a pauta e aprovar a proposta na Comissão Mista de Orçamento.

"Será uma maratona. Em primeiro lugar, haverá a votação dos vetos. Logo após a CMO, nós colocaremos a TLP, e depois haverá nova sessão do Congresso", disse Fufuca.

Ele também afirmou que espera o governo entrar em um acordo para pautar a MP do Refis em plenário.

As declarações de Fufuca foram dadas após uma reunião para discutir reforma política na residência oficial da presidência da Câmara, da qual participaram Rodrigo Maia (DEM-RJ), que ocupa o Palácio do Planalto, e líderes da base e da oposição. A reunião terminou sem consenso, mas Fufuca disse que espera votar nesta quarta-feira (30) a proposta relatada pela deputada Shéridan (PSDB-RR), que acaba com as coligações e institui a cláusula de barreira.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias