Filme da Lava Jato

Moro e Bretas vão à pré-estreia de filme sobre a Lava Jato

Longa que conta a história da Operação Lava Jato teve pré-estreia em Curitiba. Outras autoridades que inspiraram o filme também foram ao cinema

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 29/08/2017 às 9:09
Foto: ABr
Longa que conta a história da Operação Lava Jato teve pré-estreia em Curitiba. Outras autoridades que inspiraram o filme também foram ao cinema - FOTO: Foto: ABr
Leitura:

Autoridades que inspiraram "Polícia Federal - A Lei é para Todos" estiveram nesta segunda-feira (28) em Curitiba para a pré-estreia do filme que conta a história da Operação Lava Jato desde que foi deflagrada, em 2014, até a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no ano passado.

O juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da operação na primeira instância na capital paranaense, assistiu à primeira exibição do longa-metragem dirigido por Marcelo Antunez ao lado do colega Marcelo Bretas, que atua na Lava Jato no Rio de Janeiro. Moro foi acompanhado da mulher, Rosângela.

O evento também contou com a presença do delegado federal Igor Romário de Paula, coordenador da força-tarefa. "Nós estamos aqui hoje convidados e curiosos para saber como ficou o produto final, ninguém ainda teve oportunidade de ver mais. Estou com a expectativa de quem gosta de cinema", disse o delegado.

Igor afirmou também que os atores acompanharam o dia a dia da Polícia Federal para conhecer o trabalho dos delegados "para que eles tivessem condições de reproduzi-lo da forma mais fiel possível no filme". O delegado é representado pelo ator Antonio Calloni.

Atores que participam do filme também prestigiam a pré-estreia. "Igor é um personagem fascinante. Ele é objetivo, cauteloso e muito responsável. Tive muito prazer em fazer esse papel", disse Calloni "Tomara que o filme proporcione um debate. Discordem do filme, debatam, mas divirtam-se", afirmou o ator.

Maior escândalo do mundo

Para a atriz Flavia Alessandra, intérprete da delegada federal Erika Marena, que batizou a Lava Jato, o filme vai contribuir para o debate sobre o que é considerado o maior escândalo de corrupção do mundo. "Acho que a gente quer fazer a sociedade pensar, são tantas coisas que acontecem que a gente acaba ficando anestesiado".

A produção, que ainda terá pré-estreias em São Paulo, Rio e Brasília, entrará em circuito nacional no dia 7 de setembro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias