DELAÇÃO PREMIADA

Janot deve rever benefícios dados a delatores da JBS ainda este mês

Novos áudios de conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud podem mudar entendimento sobre imunidade

JC Online
JC Online
Publicado em 06/09/2017 às 16:57
Foto: Agência Brasil
Novos áudios de conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud podem mudar entendimento sobre imunidade - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

 O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve rever os benefícios concedidos aos delatores da JBS até o fim do mandato, no dia 17 deste mês. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, a Procuradoria-Geral da República entende que houve descumprimento de duas cláusulas do acordo de delação premiada por omissão e má-fé.

Nas novas gravações, divulgadas pelo Supremo Tribunal Federal, nesta quarta-feira (6), o empresário Joesley Batista e o ex-diretor da JBS, Ricardo Saud, chegam a afirmar que não serão presos e se auto-intitulam como 'joias da coroa'.

O procurador abriu inquérito para investigar o teor das novas gravações e a possível omissão de provas por parte dos colaboradores ao Ministério Público.

No entendimento do órgão, segundo a Folha de São Paulo, mexer nos benefícios não invalida as provas apresentadas. Isso significa que investigações iniciadas a partir da delação, como a denúncia que deverá ser apresentada contra o presidente Michel Temer, vão continuar.

Benefícios

Mesmo após a revelação de crimes de corrupção, os delatores não chegaram ser condenados e fecharam uma negociação para o pagamento de dívida milionária ao longo de dez anos. A situação gerou uma série de críticas à condução do acordo firmado por Janot. Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) já sinalizaram hoje que os benefícios do acordo devem ser alterados, mas sem prejuízo às investigações. Após a saída de Janot, Raquel Dodge conduzirá a PGR.

Nas novas gravações, Joesley e Saud citam o interesse no ex-procurador Marcelo Miller como fio condutor até Janot e o Ministéio Público. Miller é investigado por ter tentado atrapalhar o fechamento do acordo de delação premiada.

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias