STF

Fachin decreta prisão de Joesley e Saud, da JBS

A prisão de Marcelo Miller, ex-procurador e suspeito de atuar em favor dos delatores, não foi autorizada

JC Online
JC Online
Publicado em 10/09/2017 às 8:48
Foto: Reprodução
A prisão de Marcelo Miller, ex-procurador e suspeito de atuar em favor dos delatores, não foi autorizada - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

O ministro do STF, Edson Fachin, decretou a prisão preventiva de Joesley Batista e Ricardo Saud, executivos da JBS. Já Marcelo Miller, ex-procurador e suspeito de atuar em favor dos delatores, não teve a prisão autorizada. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

As prisões são temporárias e não há data para a execução. As detenções foram pedidas pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, após divulgação de áudio onde delatores falam sobre ministros do STF e sobre relação de Marcelo Miller, ex-braço direito de Janot, com os empresários.

INVESTIGAÇÃO SOBRE JOESLEY, SAUD E MILLER

Na segunda-feira, Janot abriu um procedimento de revisão do acordo de delação dos empresários. Ele pediu a revogação do benefício de imunidade penal concedido aos delatores.

A prisão preventiva já vinha sendo analisada por Janot nos últimos dias. Na quinta-feira, 7, os executivos prestaram esclarecimentos à PGR, mas não convenceram. A avaliação na instituição é de que o discurso era somente para manter a validade do acordo, mas os fatos narrados foram graves.

No caso de Miller, há auxiliares de Janot que avaliam que ele atuou junto à JBS com uso de informações privilegiadas que possui por ter integrado a equipe de Janot e pode ter incorrido no crime de obstrução de justiça e exploração de prestígio.

Confira a decisão do ministro Fachin na íntegra

????

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias