Rio de Janeiro

Casa de Marcelo Miller é alvo de operação da Polícia Federal

Equipe do MPF acompanha operação na casa do ex-procurador da República suspeito de envolvimento ilícito com Joesley Batista da JBS

JC Online
JC Online
Publicado em 11/09/2017 às 7:25
Foto: MPMG
Equipe do MPF acompanha operação na casa do ex-procurador da República suspeito de envolvimento ilícito com Joesley Batista da JBS - FOTO: Foto: MPMG
Leitura:

Apesar de não ter tido sua prisão decretada pelo STF, o ex-procurador da República, Marcelo Miller, pivô da mais recente reviravolta no caso JBS, continua sendo alvo de investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Na manhã desta segunda-feira (11), agentes dos dois órgãos cumprem mandado de busca e apreensão na casa de Miller no Rio de Janeiro. Equipes também realizam operações nas casas de Joesley Batista e de Ricardo Saud.

Uma equipe da PF e outra do MPF chegaram em dois carros por volta das 6h na casa do ex-procurador que fica na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul da cidade. Após a revelação de áudios que colocavam Marcelo Miller sob suspeita de contribuir ilegalmente com o acordo de delação premiada de executivos da JBS, enquanto era procurador do Ministério Público, a Procuradoria-Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal a prisão do ex-procurador, além da revogação do acordo firmado com Joesley Batista e Ricardo Saud. O ministro Edson Fachin, entretanto, não autorizou a prisão de Miller.

Em São Paulo, agentes da Polícia Federal também deram início a uma operação na manhã desta segunda-feira. Entre cinco e sete equipes deixaram a sede da PF ainda durante a madrugada para realizar mandados. Ao menos uma equipe foi à casa de Joesley que fica no bairro de Jardim Europa.

Prisões

O dono da JBS Joesley Batista e o diretor da empresa Ricardo Saud se entregaram na sede da PF em São Paulo na tarde desse domingo (10), após a determinação da prisão temporária de cinco dias feita por Edson Fachin. Os dois negociaram com a PF para se entregar sem necessidade de serem presos em suas casas. Os dois devem ser transferidos para a prisão em Brasília ainda nesta segunda-feira (11). Após pedido da defesa dos delatores, o STF determinou que Batista e Saud sejam submetidos ao exame de corpo de delito apenas quando chegarem à capital federal.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias