Lava Jato

Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão após desvio de verbas

Sérgio Cabral era responsável por um esquema desviava verbas do contratos do governo do Rio com empreiteiras

JC Online
JC Online
Publicado em 20/09/2017 às 20:28
Foto: reprodução
Sérgio Cabral era responsável por um esquema desviava verbas do contratos do governo do Rio com empreiteiras - FOTO: Foto: reprodução
Leitura:

Sérgio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio de Janeiro, foi condenado a 45 anos e dois meses de prisão por por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertencimento a organização criminosa. Esse crimes foram investigados na Operação Calicute, um dos desdobramentos da Lava Jato. Além da reclusão decidida nesta quarta-feira (20) por meio d e sentença proferida pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio e responsável pela Lava-Jato no Rio, Cabral ainda deve pagar uma multa. Segundo denúncia da Operação Calicute, o esquema desviava verbas do contratos do governo do Rio com empreiteiras. O ex-governador do Rio já está preso desde novembro de 2016.

Cabral já tem uma primeira condenação imposta pelo juiz Sérgio Moro - 14 anos e 2 meses de reclusão, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa. "Principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados nestes autos, o condenado Sérgio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema", afirmou o juiz federal Marcelo Bretas na sentença.

O Ministério Público Federal apontou corrupção e lavagem de dinheiro usando obras do governo do Estado que receberam recursos federais a partir de 2007. A força-tarefa da Lava Jato, no Rio, apontou fraudes sobre as obras de urbanização em Manguinhos (PAC Favelas), construção do Arco Metropolitano e reforma do estádio do Maracanã para a Copa de 2014.

Veja as condenações dos réus na Calicute:

1) Sérgio Cabral, ex-governador - 45 anos e 2 meses de prisão
2) Wilson Carlos, ex-secretário de Governo - 34 anos de reclusão
3) Hudson Braga, ex-secretário de Obras - 27 anos de reclusão
4) Carlos Emanuel Miranda, apontado como operador de Cabral - 25 anos de reclusão
5) Luiz Carlos Bezerra, apontado como operador de Cabral - 6 anos e 6 meses de reclusão
6) Wagner Jordão Garcia, apontado como operador de Hudson Braga - 12 anos e 2 meses de reclusão
7) Adriana Ancelmo, ex-primeira-dama - 18 anos e 3 meses de reclusão
8) Paulo Fernando Magalhães Pinto Gonçalves, ex-assessor de Cabral e delator - 9 anos e 4 meses de reclusão
9) José Orlando Rabelo, apontado como operador de Hudson Braga - 4 anos e 1 mês de reclusão
10) Luiz Paulo Reis, apontado como "laranja" de Hudson Braga - 5 anos e 10 meses de reclusão
11) Carlos Jardim Borges, empresário e dono do complexo Portobello - 5 anos e 3 meses de reclusão
12) Luiz Alexandre Igayara, dono da Rica Alimentos e delator - 6 anos de reclusão

Absolvido:

Pedro Miranda, ex-assessor de Cabral

Outra condenação de Cabral

Esta é a segunda condenação de Sérgio Cabral na Lava Jato. Em junho, o juiz federal Sérgio Moro condenou a 14 anos e 2 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro. O peemedebista foi acusado por propina de pelo menos R$ 2,7 milhões da empreiteira Andrade Gutierrez, entre 2007 e 2011, referente as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras.

Últimas notícias