Recuperação

Setores do comércio e indústria sinalizam recuperação, afirma ministro

Segundo ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira, setores de serviços também estão incluídos na recuperação

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 20/11/2017 às 18:18
Foto: Agência Câmara dos Deputados
Segundo ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira, setores de serviços também estão incluídos na recuperação - FOTO: Foto: Agência Câmara dos Deputados
Leitura:

O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, destacou nesta segunda-feira (20) durante coletiva de imprensa para apresentação dos dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), que os resultados dos setores de comércio, indústria e serviços sinalizam uma recuperação consolidada da economia.

76.599 novos postos

Pelos números do Caged, a indústria de transformação foi responsável por 33.200 novas vagas em outubro, o comércio por 37.321 vagas e os serviços por 15.915 postos. Considerando todos os setores, foram 76.599 novos postos com carteira assinada.

"O problema era muito sério em relação ao desemprego nos últimos três anos", pontuou o ministro. "As políticas adotadas pelo governo estavam corretas e já começamos a comemorar. O Brasil do futuro é o Brasil do emprego", afirmou.

Nogueira lembrou ainda que alguns setores da economia já anunciaram investimentos para 2018, como o automobilístico. "Serão R$ 15 bilhões de investimentos", citou. "As novas contratações do setor devem ser potencializadas no próximo ano, quando acontecerem de fato os investimentos."

O ministro disse ainda que o governo acredita na recuperação do setor de construção civil já no primeiro semestre de 2018. Em outubro, conforme o Caged, este setor foi responsável pelo corte de 4.764 postos de trabalho. Em 2017, o total já chega a 30.545 vagas fechadas. "Há toda uma cadeia que precisa ser implementada, um período para licenças. Mas quando as obras começam a acontecer na ponta, o emprego acontece", disse Nogueira.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias