PRESIDENTE

Temer chama de 'análise sociológica' críticas de Meirelles ao PSDB

Meirelles criticou a indecisão do PSDB quanto à reforma da Previdência e a falta de comprometimento em defender o ''legado'' do atual do governo

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 05/12/2017 às 18:52
Foto: Beto Barata/PR/FotosPúblicas
Meirelles criticou a indecisão do PSDB quanto à reforma da Previdência e a falta de comprometimento em defender o ''legado'' do atual do governo - FOTO: Foto: Beto Barata/PR/FotosPúblicas
Leitura:

O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira (5), não ter considerado um ataque ao PSDB as declarações do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, sobre o partido e sobre o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo mostrou que as críticas recentes feitas pelo ministro têm o aval do presidente.

"Ele fez uma declaração de acordo com as concepções dele. Mas nada agressivo com relação ao PSDB. Foi uma análise sociológica", disse Temer.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, publicada na segunda-feira, 4, Meirelles disse que o governo terá um candidato à Presidência em 2018. Afirmou, porém, que esse postulante não será Alckmin, criticando a indecisão do PSDB quanto à reforma da Previdência e a falta de comprometimento em defender o "legado" do atual do governo.

Estratégia para a eleição

Conforme revelou o Estado no fim do mês passado, Temer começou a desenhar uma estratégia para a eleição. A ideia é reunir os principais partidos da coalizão governista em uma chapa de centro-direita para a corrida ao Palácio do Planalto. Filiado ao PSD, Meirelles quer ser esse concorrente e já tenta repaginar sua imagem, para torná-la mais popular.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias