Julgamento

MBL quer instalar telão na Paulista para acompanhar julgamento de Lula

Julgamento de Lula acontece no próximo dia 24 de janeiro, em Porto Alegre

Estadão Conteúdo Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 05/01/2018 às 11:59
Foto: Agência Brasil
Julgamento de Lula acontece no próximo dia 24 de janeiro, em Porto Alegre - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

O Movimento Brasil Livre (MBL) estuda a possibilidade de "chamar uma manifestação", com a instalação de um telão na Avenida Paulista, na região central de São Paulo, para acompanhar os desdobramentos do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que irá acontecer no próximo dia 24 de janeiro, em Porto Alegre, no Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF-4).

"Ainda são apenas ideias, mas o MBL pensa sim em chamar uma manifestação para o dia do julgamento. Colocar um telão para acompanhar o que acontece em Porto Alegre é uma opção. Tudo vai depender do engajamento das pessoas", disse o youtuber Arthur do Val, do canal "Mamãe Falei", designado pelo MBL para falar sobre o tema com a imprensa.

O grupo também estuda a possibilidade de realizar alguma manifestação em Porto Alegre. "Vai depender muito do engajamento por lá, mas ao menos transmissões ao vivo pela internet de tudo o que estiver acontecendo nos arredores do tribunal nos iremos fazer", afirmou do Val.

Para o youtuber, o pedido do prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), para que o Exército e a Força Nacional atuem no dia do julgamento do ex-presidente foi "prudente": "Porto Alegre está em dificuldades com a questão da segurança pública. Nas últimas manifestações na cidade o bicho pegou. A mobilização pró-Lula deve ser grande também.

"Agora, esses esquerdistas que estão criticando o prefeito precisam entender que o Exército estará lá para dar segurança. Eles só devem agir se forem provocados. Se as manifestações forem pacíficas não tem problema nenhum", disse. Marquezan é ligado ao MBL e é crítico de Lula nas redes sociais.

Condenação

O ex-presidente foi condenado, em primeira instância, a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex do Guarujá (SP). Se a condenação for confirmada pelo TRF-4, Lula pode ser impedido de disputar a eleição presidencial.

Últimas notícias