ESTADOS UNIDOS

Casa Branca reconhece intromissão da Rússia na eleição dos EUA

A Casa Branca admitiu que os russos se intrometeram nas eleições, mas rejeitou a ideia de que atividades tenham modificado resultado da votação

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 20/02/2018 às 19:18
Foto: Fórum Econômico Mundial / Faruk Pinjo
A Casa Branca admitiu que os russos se intrometeram nas eleições, mas rejeitou a ideia de que atividades tenham modificado resultado da votação - FOTO: Foto: Fórum Econômico Mundial / Faruk Pinjo
Leitura:

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, admitiu nesta terça-feira (20) que os russos se intrometeram nas eleições americanas, mas rejeitou a ideia de que as atividades tenham modificado o resultado da votação - em que Donald Trump saiu vitorioso.

"Trump já reconheceu várias vezes que os russos se intrometeram na eleição; isso é muito claro", disse Sarah, que negou, no entanto, que a campanha do republicano tenha feito conluio com o governo russo.

Ao ser questionada sobre se o governo tomaria uma atitude para punir os russos, Sarah se esquivou e afirmou que Trump sempre foi duro desde o começo do seu governo com os russos, aplicando sanções econômicas, e que a Casa Branca vai discutir a questão e continuar endurecendo sua postura.

Sarah ainda lembrou que a intromissão aconteceu durante o governo do antecessor de Trump, Barack Obama, e que na época ele não fez nada para impedi-los. Ela também afirmou que o governo está agora discutindo formas de melhorar o sistema eleitoral.

Ataque na Flórida

Essa foi a primeira coletiva de imprensa realizada na Casa Branca desde o ataque a uma escola que deixou 17 alunos mortos a tiros na Flórida. Sarah foi questionada sobre se o governo cogita afastar autoridades da Agência Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) após a notícia de que a agência recebeu informações sobre o comportamento suspeito do autor do ataque.

A porta-voz disse que o trabalho do FBI sobre o caso está sendo avaliado, mas não indicou que alguém será afastado. Ela também disse que não tem a anúncios a fazer sobre o controle de armas no país.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias