ELEIÇÕES

É preciso diálogo para 'um Bolsonaro' não assumir o País, diz Marinho

Luiz Marinho, presidente do PT paulista, ainda disse que 'a pregação de ódio não ajuda'

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 13/04/2018 às 14:02
Foto: Agência Brasil
Luiz Marinho, presidente do PT paulista, ainda disse que 'a pregação de ódio não ajuda' - FOTO: Foto: Agência Brasil
Leitura:

Luiz Marinho, presidente do PT paulista e pré-candidato da sigla ao governo de São Paulo, disse nesta sexta-feira (13) em entrevista à Rádio Eldorado, que teve uma "conversa de pessoa madura" com o ministro do STF Alexandre de Moraes, que é favorável ao cumprimento imediato da pena após julgamento em segunda instância.

Ao comentar a visita, feita juntamente com o ex-ministro Gilberto Carvalho, que também é do círculo próximo ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marinho alegou que é preciso voltar a dialogar no País, a fim de evitar que "um Bolsonaro" assuma o comando.

Na quarta-feira (11) Marinho e Gilberto Carvalho estiveram com os ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes para falar sobre o julgamento das ações que tratam do cumprimento de pena após julgamento em segunda instância.

"A pregação do ódio não ajuda, vamos ponderar com todos que pudermos conversar", destacou Marinho na entrevista à rádio. E emendou: "Estamos conversando com todos os ministros, independentemente de quem possa decidir ou não sobre prisão após julgamento em segunda instância. A situação está muito tensa e precisamos que todos saibam que, do lado do PT, queremos tranquilidade."

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias