ELEIÇÕES 2018

Ciro Gomes critica Bolsonaro e diz que distribuir armas 'seria banho de sangue'

Pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes participou de sabatina nesta segunda

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 21/05/2018 às 12:24
Foto: Reprodução / Facebook Ciro Gomes
Pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes participou de sabatina nesta segunda - FOTO: Foto: Reprodução / Facebook Ciro Gomes
Leitura:

Pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes participou de sabatina promovida pelo UOL, Folha de S. Paulo e SBT nesta segunda-feira (21), e disse que distribuir armas à população resultaria em um "banho de sangue". "Qual é o país do mundo que enfrentou isso [violência] expandindo o armamento?", questionou.

Na avaliação de Ciro, o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) tem "soluções toscas e graves" para segurança pública. "Quando um camarada promete distribuir armas é um banho de sangue". Isso porque, afirmou, os cidadãos não estão preparados para manusear as armas, enquanto os criminosos, sim.

 Ainda sobre segurança pública, Ciro criticou a intervenção federal decretada pelo governo federal na área de segurança pública no Rio de Janeiro. "Não deu certo. O traficante mora em Ipanema, no Leblon, na Barra [bairros nobres da capital fluminense], e usa ali [nas favelas] meia dúzia de buchas de canhão", disse.

CRÍTICAS A BOLSONARO

As críticas de Ciro a Bolsonaro não pararam. Ele ainda o classificou como "fascista, tem dificuldade de lidar com o antagonismo" e, caso o concorrente seja eleito, haverá crise posto que "nunca administrou um boteco dos pequenos". O pedetista ainda disse que "gostaria muito" de enfrentar Bolsonaro no segundo turno porque seria o candidato "menos difícil " de derrotar.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias