Equipe de transição

Bolsonaro diz que não escolhe assessor por cor ou orientação sexual

Por meio de sua conta no Twitter, Bolsonaro negou que faça discriminação

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 07/11/2018 às 13:38
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Por meio de sua conta no Twitter, Bolsonaro negou que faça discriminação - FOTO: Foto: José Cruz/Agência Brasil
Leitura:

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) reagiu nesta quarta-feira (7), nas redes sociais, à pressão sobre a ausência de mulheres na sua equipe. Ele disse que não está preocupado com cor nem sexo na hora de escolher assessores. Na sua conta no Twitter, negou que faça discriminação.

“Não estou preocupado com a cor, sexo ou sexualidade de quem está na minha equipe, mas com a missão de fazer o Brasil crescer, combater o crime organizado e a corrupção, dentre outras urgências”, escreveu.

Equipe de transição

Na equipe de transição do governo Bolsonaro, foram designados 27 nomes, dos quais cinco sem remuneração. Assessores próximos ao presidente eleito garantem que ele nomeará quatro mulheres, das quais três militares e uma civil.

“Algum jornalista acha mesmo que vou sair perguntando o que cada um faz na sua intimidade para indicar a cargos no governo? Isso é uma grande piada”, acrescentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias