FUTURO MINISTRO

Moro quer Jungmann como 'conselheiro informal' do novo governo

Sérgio Moro deu a declaração em Brasília após se reunir com Raul Jungmann, atual chefe da pasta da Segurança Pública

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 07/11/2018 às 17:42
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Sérgio Moro deu a declaração em Brasília após se reunir com Raul Jungmann, atual chefe da pasta da Segurança Pública - FOTO: Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Leitura:

O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, disse que espera contar com o ministro da Segurança, Raul Jungmann, como um "conselheiro informal" do novo governo. Moro esteve em Brasília, nesta quarta-feira (7), para se reunir com Jungmann e discutir a transição de governo. 

"Gostaria de contar com o ministro Jungmann como um conselheiro informal, com toda sua experiência na área da gestão pública e na área da segurança", declarou Moro. No governo Jair Bolsonaro, os ministérios da Justiça e o da Segurança Pública serão incorporados.

Após a declaração de Moro, Raul Jungmann declarou que esta à disposição do futuro ministro "agora e depois". "Quero agradecer as suas palavras e dizer que estaremos à disposição agora e depois", disse Jungmann.

Encontro com Jungmann

Ao deixar o encontro com Jungmann, Sérgio Moro disse manter relação "muito cordial" com o atual ministro. "É como se trocasse o pneu de um carro. A máquina pública não pode parar. Facilita essa cordialidade e contato que manteremos a partir de agora", afirmou. Ele também avaliou como "muito importantes" as ações desenvolvidas por Jungmann na segurança pública, acrescentando que houve "restruturação financeira do setor".

"Sem recursos, não é possível desenvolver projetos, desenvolver políticas públicas", completou Moro. Depois, representantes de secretarias e de departamentos vinculados aos dois ministérios explicaram a Sérgio Moro os projetos em curso e tiraram dúvidas do futuro ministro sobre a situação dos órgãos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias