SENADO

'Não há motivo para comemorar o Dia do Trabalhador', lamenta Alvaro Dias

O senador lamentou o alto índice de desemprego registrado no Brasil

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 30/04/2019 às 17:46
Notícia
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
O senador lamentou o alto índice de desemprego registrado no Brasil - FOTO: Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Leitura:

O senador Alvaro Dias (Pode-PR) afirmou, nesta terça-feira (30), em Plenário que não há motivos para comemorações neste 1º de Maio, devido ao alto índice de desemprego registrado no Brasil. Ele ressaltou os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que registrou o índice de 12,7% de desempregos, com 13,4 milhões de trabalhadores sem emprego. Para ele, os números não correspondem à realidade, "os números são ainda piores".

Segundo o senador, a metodologia do IBGE merece reparos, pois considera empregado um cidadão que vende algum produto num cruzamento de uma cidade durante uma hora, na semana de referência da pesquisa. Ou ainda leva em consideração aquele que realiza, no mesmo período, trabalho não remunerado diretamente, para ajudar um parente.

POBREZA

O senador afirmou que a falta de oportunidades de emprego é a principal causa do aumento da pobreza e da miséria no Brasil. Ele lembrou que 50% da população vive com menos de um salário mínimo e que um em cada quatro brasileiros recebe auxílio do programa Bolsa Família. Alvaro Dias defendeu mudanças no sistema econômico, e disse que cabe ao Congresso Nacional a responsabilidade de mudar esse cenário de crise.

"Nós haveremos de recuperar a imagem do Congresso Nacional e de encontrar os caminhos para superarmos impasses, desobstruir o sistema econômico, para que nós possamos, com crescimento, distribuição de renda e justiça social, melhorar a vida de todos os brasileiros", disse o senador.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias