"Brazil by Brasil"

Governo inicia campanha para melhorar imagem do Brasil

Em vídeo divulgado neste sábado (21), o governo destaca que o Brasil está entre os principais exportadores de açúcar, café, suco de laranja, soja, carne bovina e frango

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 21/09/2019 às 11:39
Notícia
Reprodução de vídeo
Em vídeo divulgado neste sábado (21), o governo destaca que o Brasil está entre os principais exportadores de açúcar, café, suco de laranja, soja, carne bovina e frango - FOTO: Reprodução de vídeo
Leitura:

O governo brasileiro divulgou neste sábado (21) o primeiro vídeo da campanha publicitária "Brazil by Brasil". "O mundo precisa conhecer o Brazil by Brasil: um dos maiores produtores agrícolas do mundo, o Brasil alimenta 1,2 bilhão de pessoas e usa só 7,8% das suas terras com lavouras", diz o locutor no vídeo, enquanto imagens mostram a produção agrícola brasileira, florestas e paisagens ambientais.

No vídeo de trinta segundos, divulgado na manhã deste sábado, o governo destaca que o Brasil está entre os principais exportadores de açúcar, café, suco de laranja, soja, carne bovina e frango. "Isso é possível com tecnologia, pesquisas agrícolas e incentivo para produção, que neste ano será de US$ 53 bilhões", afirma o vídeo.

A divulgação da primeira peça, de um total de quatro, estava prevista para ocorrer hoje, às vésperas do discurso do presidente Jair Bolsonaro na Assembleia-Geral da ONU, conforme apurou o BR Político. "Conheça um novo Brasil moderno e produtivo. Conheça o Brazil by Brasil", convida o locutor.

A campanha mundial de publicidade foi apresentada pelo secretário de Publicidade da Presidência da República, Glen Valente, em audiência na Comissão de Agricultura do Senado, no último dia 11 de setembro. Na ocasião, Valente disse que o objetivo da ação é reverter a má imagem do Brasil no exterior, em virtude dos recentes incêndios na Amazônia. "Será uma campanha permanente, sem data pra acabar. Nossos leads serão meio ambiente e agronegócio", afirmou. A campanha terá o custo de R$ 40 milhões. A imagem do presidente Jair Bolsonaro e demais autoridades brasileiras não serão utilizadas nas peças.

Disseminação de informações

Além dos vídeos, que serão veiculados na internet e nas redes televisivas, a campanha contará com ações de disseminação de informações em redes sociais, inserções em rádios e aeroportos e metrôs. As peças publicitárias serão divulgadas nos Estados Unidos e na Europa, traduzidas em diversos idiomas. Também serão feitos monitoramentos frequentes de publicações a respeito do Brasil em jornais e redes sociais de outros países.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias