PORTO ALEGRE

Morre Ibsen Pinheiro, presidente da Câmara no impeachment de Collor

Governo do Rio Grande do Sul decretou luto oficial por três dias no Estado

José Matheus Santos
José Matheus Santos
Publicado em 25/01/2020 às 12:34
Notícia
Foto: Galileu Oldenburg/Divulgação PMDB
Governo do Rio Grande do Sul decretou luto oficial por três dias no Estado - FOTO: Foto: Galileu Oldenburg/Divulgação PMDB
Leitura:

atualizada às 14h53 do dia 27 de janeiro de 2020

Faleceu nesta sexta-feira (24) o deputado Ibsen Pinheiro (MDB-RS), responsável por conduzir a Câmara dos Deputados em um dos períodos mais turbulentos da República após a redemocratização. Aos 84 anos, Ibsen sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto era atendido no Hospital Dom Vicente Scherer, em Porto Alegre.

Na Câmara, Ibsen foi responsável por abrir o processo de impeachment que destituiu Fernando Collor do Planalto, em 1992. Formado como jornalista, ele também exerceu carreira na área do Direito, como advogado, procurador de Justiça e promotor. Na política, foi do cargo de verador a deputado constitucionalista.

Como chefe da Câmara, exerceu interinamente a Presidência da República em ao menos duas ocasiões. Ibsen exerceu mandato como deputado estadual no Rio Grande do Sul até a última legislatura, que se encerrou em 2018.

"A perda desse grande companheiro - uma das mentes mais brilhantes da política - deixa um vazio no coração do MDB de todo o Rio Grande do Sul e do Brasil", escreveu, em nota, o MDB gaúcho.

Luto

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), decretou luto oficial no Estado por três dias. Atual presidente da Câmara, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) também lamentou a morte.

"Ele presidiu a Casa com muita seriedade, num dos momentos mais importantes da democracia brasileira", escreveu Maia. "Ibsen foi um exemplo para mim, tive a oportunidade de conviver e aprender muito com ele. Perdemos um homem público diferenciado."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias