Polêmica

Priscila Krause sofre "tiroteio político" no bastidor da Câmara

Ao propor a "revisão" do polêmico aumento de 62% aprovado para os vereadores, a partir de 2013, líder do DEM irritou os colegas do Legislativo

Ciro Carlos Rocha
Ciro Carlos Rocha
Publicado em 07/01/2012 às 0:10
Leitura:

Corporativismo, no dicionário da vereança recifense, é provérbio sagrado. Na Câmara Municipal do Recife, aquele que ousar remar contra a maré será crucificado. É este o mantra que está sendo levado às últimas consequências na Casa de José Mariano, onde os vereadores aprovaram, no apagar das luzes de 2011, um reajuste salarial de 62% para vigorar a partir de 2013, quando começa a próxima legislatura.

Diante da repercussão negativa do aumento futuro nos salários dos vereadores (os que serão eleitos e reeleitos) em pleno ano eleitoral, Priscila Krause (DEM) levantou a possibilidade de rever a decisão, assim que o Legislativo voltar do recesso, suscitando a ira dos colegas.

Nos bastidores, ela está sendo acusada, por um parcela significativa de seus companheiros, de ser “populista” e de estar “jogando para a plateia”, como se diz no jargão político. A leitura de muitos dos demais vereadores é de que as declarações de Priscila sobre a revisão do reajuste estão desgastando a imagem da Casa, e que ela estaria tentando sair ilesa da repercussão negativa do episódio. “Ela não pode dizer que vai rever a questão como se não soubesse o que estava votando quando aprovou o reajuste”, afirmou um vereador, em reserva.

O que queriam os 37 vereadores era que a mesa diretora da Câmara tivesse anunciado a “revisão do reajuste”, caso se chegasse a um consenso, no primeiro dia de retorno do recesso, em fevereiro. Isso, segundo alguns, era o melhor a fazer para não criar problemas aos que tentam a reeleição. “O salário estava defasado. Tínhamos que fazer um anúncio coletivo. Não tem coisa pior para um político do que voltar atrás! Voltar atrás em período eleitoral fica parecendo uma coisa demagógica. Todo mundo votou (no aumento), a verdade é essa”, atacou outro vereador, que também pediu reserva.

Questionada ontem sobre a ira dos colegas, Priscila Krause foi enfática. Afirmou que não tem falado com seus pares. “Não quero entrar em detalhes do assunto porque as pessoas estão falando sem se identificar. Mas estou tranquila com a minha posição”, asseverou.

Leia mais na edição do Jornal do Commercio

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias