Entrevista

Costa e Rands trocam acusações na Rádio Jornal

Candidatos falaram sobre o processo conturbado das prévias do PT

Thiago Neuenschwander Cavalcante
Thiago Neuenschwander Cavalcante
Publicado em 21/05/2012 às 10:27
Montagem: Editoria de Artes/JC
Candidatos falaram sobre o processo conturbado das prévias do PT - FOTO: Montagem: Editoria de Artes/JC
Leitura:

No mesmo clima de guerra estabelecido desde o primeiro dia de campanha de prévias no PT do Recife, o deputado federal Maurício Rands e o prefeito João da Costa amanheceram afiados. Em entrevista à Rádio Jornal, os dois voltaram a trocar acusações. Novamente acusando fraude no processo eleitoral interno, Rands afirmou que os representantes da executiva nacional que vieram acompanhar o processo saíram “estarrecidos” com a condução e disse que o prefeito faz parte de um grupo que quer se apoderar do partido.

“De sorte que é algo muito grave, que não corresponde as práticas do Partido dos Trabalhadores. Trata-se de um pequeno grupo que está se apoderando da candidatura do PT, por isso está tão isolado politicamente. Isso vai ser revisto pela executiva nacional que saiu estarrecida. Vamos aguardar, não houve proclamação, o que comprova que o prefeito João da Costa perdeu qualquer condição de ser o candidato do PT nas eleições de outubro”, atacou o deputado para em seguida complementar. “Se antes a sua candidatura já era inviável, a partir da condução com fraude fica impossível. A cidade do Recife pode ficar tranquila porque o prefeito João da Costa perdeu ontem qualquer condição de ser o candidato do PT”, reafirmou.

Instado a responder as colocações do adversário, o prefeito João da Costa afirmou, rindo, que é preciso que os correligionários aceitem a decisão da militância. Esse discurso está sendo entoado desde ontem pelo gestor. “A vontade dos militantes foi expressa nas urnas, quem organizou as eleições foi o diretório municipal, eu participei, fui submetido a apreciação pelos filiados e obtive a vitória pela maioria. Quando você participa de uma eleição, tem que aceitar a derrota e respeitar o resultado”, pregou o prefeito.

A acusação de  “votos piratas” que o adversário diz ter sido a arma para João da Costa vencer a disputa, foi minimizada pelo gestor. “Quem organizou a prévia foi a direção municipal do partido, não foi João da Costa e quem votou foram os filiados do PT. Não conheço ninguém que tenha votado que não seja filiado ao partido”, repetiu aproveitando para ironizar o adversário. “Acho estranho o deputado passou a campanha inteira querendo que todos os filiados do partido votassem, foi até a direção nacional, pediu uma resolução especial para o pagamento coletivo para que todos participassem”, atacou.

Rands por sua vez rebateu as afirmações de João da Costa dizendo que as explicações do prefeito são “uma cortina de fumaça. Uma lista de tapetão, recheada de piratas. Muita gente vai ser levada ao conselho de ética do partido, disseram os integrantes da executiva nacional”.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias