ELEIÇÕES

PT arma ofensiva contra o PSB. Lula evita Eduardo Campos

Humberto Costa garante participação exclusiva de Lula na sua campanha e promete unir o partido em defesa da gestão petista

Ayrton Maciel
Ayrton Maciel
Publicado em 27/06/2012 às 8:03
Foto: Agência Senado
Humberto Costa garante participação exclusiva de Lula na sua campanha e promete unir o partido em defesa da gestão petista - FOTO: Foto: Agência Senado
Leitura:

Passado o impacto inicial da indicação do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Geraldo Júlio, do PSB, como pré-candidato a prefeito do Recife pela Frente Popular, o PT começa a demonstrar que não fugirá do confronto e que tratará os socialistas como adversários. Desde a semana passada o governador Eduardo Campos (PSB) não consegue contato com o ex-presidente Lula que, contrariado com o rompimento do PSB no Recife, evita o aliado.

Na terça-feira (26), o ex-presidente acabou com qualquer dúvida sobre sua presença na campanha, ao autorizar o pré-candidato do PT, senador Humberto Costa, a anunciar a sua participação no guia eleitoral e sua presença exclusiva no palanque petista do Recife. “"Lula vai participar da campanha, gravará para TV e no Recife não terá mais de um palanque"”, disse Humberto. Ele almoçou com Lula em São Paulo, após apresentação do projeto Memorial da Democracia, do Instituto Cidadania.

De forma clara, Humberto afirmou que o PT vai para a disputa no Recife consciente de que está sob contestação o projeto político e o modo petista de governar, que há 12 anos conduz a cidade. Por isso, considera que a unidade do PT será conseguida, mesmo depois da conflagração com o prefeito João da Costa pela candidatura. “"João da Costa é um militante de 30 anos no PT. Tem compromisso com o partido, assim como os que estão com ele. O foco dos ataques de nossos adversários será nossa gestão. Quero informações para fazer a defesa. É uma questão de sobrevivência"”, sinalizou.

Jogando a questão para o pós-convenção (sexta, 29), a preparação do PT para a disputa com o PSB deve exigir a entrega dos cargos pelos secretários petistas no governo Eduardo: Maurício Rands (Governo), Isaltino Nascimento (Transportes) e Fernando Duarte (Cultura). “

Com a convicção do PT nacional de que a decisão de Eduardo de lançar um nome do PSB faz parte do seu projeto presidencial para 2014, a disputa caminha para ser nacionalizada. Participante da gestão de João Paulo, na qual indicou secretários, e da de João da Costa, com o vice-prefeito Milton Coelho, o PSB todavia anuncia para o Recife “o modelo de gestão de Eduardo no Estado”. A reação será a propaganda dos investimentos de Lula e Dilma Rousseff – que o PT quer reeleger em 2014 – no Estado e no Recife, mais as ações das gestões na Capital. Um vídeo do presidente nacional do PT Rui Falcão foi postado no site do PT conclamando os militantes à unidade para enfrentar “a frente ampla que tenta nos derrotar”.

Se a adesão do PMDB do senador Jarbas Vasconcelos sacramentou o nome de Geraldo Júlio, Humberto, porém, ainda tem um fio de esperança de que a Frente Popular possa ser reatada. “O PT quer. Temos sido leais desde 2006 (primeira eleição de Eduardo). Nós não rompemos”, disse.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias