eleições 2012

Daniel ultrapassa Humberto em pesquisa JC/IPMN. Geraldo continua liderando

Tucano aparece com 22% das intenções de voto, contra 16% de Humberto. Mendonça tem 6%

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 23/09/2012 às 0:01
Leitura:

Uma troca de posições na vice-liderança da corrida pela Prefeitura do Recife é a principal novidade registrada na nova rodada da pesquisa Jornal do Commercio/Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (JC/IPMN), realizada nos dias 20 e 21 deste mês, com 1.079 eleitores da capital pernambucana. O candidato do PSDB, Daniel Coelho, ultrapassou o seu concorrente do PT, Humberto Costa, e assumiu a segunda colocação, com 22% das intenções de voto, contra 16% obtidas pelo petista. Na amostragem anterior, publicada no dia 13 de setembro, Humberto tinha 22%, e Daniel vinha em terceiro, com 15%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Infográfico

6ª pesquisa de intenção de voto do Recife

A liderança da disputa permanece com o candidato do PSB, Geraldo Julio, que agora aparece com 38% das intenções de voto, um ponto percentual a menos que no levantamento anterior. Já o representante do DEM, Mendonça Filho, ganhou um ponto em relação ao dia 13 passado, e se mantém em quarto lugar com 6% das citações. O número de eleitores que pretendem votar em branco ou anular o voto ficou em 9%, e outros 8% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder sobre a sucessão.

De acordo com o cientista político Adriano Oliveira – professor da UFPE e um dos coordenadores da pesquisa – os novos números sugerem dois cenários distintos para o desfecho da eleição no Recife: ou a disputa seguirá para um segundo turno entre Geraldo Julio e Daniel Coelho, ou o candidato socialista liquidará a fatura logo no primeiro turno. Para isso, ele necessitaria galgar mais quatro a cinco pontos percentuais. “A ultrapassagem de Daniel sobre Humberto mostra um avanço do tucano sobre o eleitorado do PT, algo que não era tão previsível, já que os petistas têm um eleitorado razoavelmente cativo no Recife”, analisa. Oliveira, advertindo, porém, que não pode ser descartada uma recuperação de Humberto, que permita a sua ida ao segundo turno contra o socialista. Tudo dependerá das estratégias que o PT venha a adotar para confrontar o adversário tucano. “No momento, essa briga pela segunda colocação favorece uma vitória de Geraldo Julio no primeiro turno”, acrescenta o professor.

ESPONTÂNEA - A pesquisa espontânea – na qual o eleitor é indagado sobre o candidato de sua preferência, sem receber o auxílio de uma lista de nomes – também foi registrada a inversão de papéis na segunda colocação. Humberto Costa, que aparecia na amostragem anterior com 20% das citações, agora tem 15%, caindo para terceiro, enquanto Daniel, que tinha 13%, subiu para 21%, assumindo a vice-liderança. Geraldo Julio recebeu os mesmos 36% de citações obtidos na amostragem anterior, e Mendonça Filho caiu de 6 para 5%. Declararam voto em branco ou nulo 10% dos entrevistados, enquanto 12% não souberam ou não quiseram opinar.

SEGUNDO TURNO - A pesquisa realizou simulações de dois possíveis cenários para o segundo turno das eleições no Recife, e constatou que, em ambos, o candidato do PSB, Geraldo Julio, ganharia a disputa. No primeiro cenário, em que o socialista enfrentaria o candidato do PT, Humberto Costa, o placar daria a vitória a Geraldo com 47% dos votos válidos, contra 19% de Humberto. Nesse cenário, 24% dos eleitores se disseram dispostos a votar em branco ou anular o voto, e 10% não opinaram.

No segundo cenário, em que Geraldo Julio enfrentaria o candidato do PSDB, Daniel Coelho, o socialista teria um pouco mais de dificuldades em vencer a disputa. Ele receberia 43% dos votos válidos, contra 26% que seriam dados ao tucano. Num eventual confronto entre os dois, 23% dos eleitores votariam em branco ou nulo, e 9% preferiram não opinar.

CONTESTAÇÃO - Na tarde da sexta-feira passada, a coligação liderada pelo candidato do PT a prefeito do Recife, Humberto Costa, recorreu à Justiça Eleitoral contra a publicação desta nova rodada de pesquisa JC/IPMN. Os petistas contestaram vários itens do levantamento que, na sua avaliação, induziriam o entrevistado a escolher o candidato do PSB, Geraldo Julio, e prejudicariam Humberto.

O pedido de embargo da pesquisa foi indeferido em primeira instância pelo juiz João Maurício Guedes Alcoforado, ainda anteontem. A coligação recorreu, então, ao Tribunal Regional Eleitoral. No final da tarde de ontem, de acordo com o advogado do PT Ricardo Dalla, o desembargador de plantão do TRE, Janduhy Finizola, indeferiu o processo, alegando tratar-se de censura prévia.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias