Governo

Eduardo retorna das férias e reassume governo nesta segunda

Governador tem apenas um compromisso oficial nesta segunda: a entrega da reforma do Museu a Cidade do Recife. Prefeito eleito Geraldo Julio deve discutir formação da equipe

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 25/11/2012 às 13:48
Leitura:

Após 15 dias em viagem de férias com a família para a Itália, o governador Eduardo Campos (PSB) retorna neste domingo à noite para Pernambuco, mas só reassumirá o cargo na segunda (26). Sua agenda oficial prevê apenas um compromisso para o primeiro dia do retorno às atividades: às 15h, no Museu da Cidade do Recife, no Forte das Cinco Pontas, ele inaugura a reforma do museu e, com o Ministério do Turismo,  faz a entrega (simbólica) de obras do Prodetur em Ipojuca, Cabo e Tamandaré.

 

De acordo com o governo, são  obras estruturadoras para o desenvolvimento da atividade turística no Estado. Ao total, foram investidos US$ 114,64 milhões (equivalente a R$ 235 milhões), com recursos do Prodetur Nordeste II, no Recife e nos outros três municípios, todos do do Litoral Sul. No Recife,  o Prodetur investiu na requalificação do Museu da Cidade do Recife, que agora passa a contar com sinalização bilíngue e acessibilidade com instalação de rampas móveis e um elevador. O programa também informa ter requalificado as calçadas e a iluminação de históricas vias do Recife.

Em Ipojuca, as obras foram de melhoramento do acesso às praias do município, inclusive com  implantação da ciclovia e da pista de cooper. Em Tamandaré também foram investidos recursos para a melhoria dos acessos às praias. Já no Cabo, a praia de Gaibu foi beneficiada com obras de saneamento.

EQUIPE DE GERALDO

A volta do  governador vem sendo aguardada pelo prefeito eleito do Recife, Geraldo Julio (PSB), que deve agendar para os próximos dias uma conversa com o padrinho político. Na pauta do encontro, a cessão de mais integrantes do governo do Estado para a transição e, consequentemente, para o secretariado da futura gestão municipal.

A tendência é continuar aproveitando ocupantes de cargos do segundo e terceiro escalão da administração estadual. Para auxiliá-lo na transição, Geraldo convocou o presidente licenciado do Condepe/Fidem, Antônio Alexandre; o ex-presidente da Cehab, Nilton Mota; o ex-secretário-executivo de Desenvolvimento Econômico, João Guilherme Ferraz; e o jornalista Carlos Percol, ex-gerente de Relações com a Imprensa.

O único secretário a deixar o governo de Eduardo foi Alexandre Rebêlo, então titular da pasta de Planejamento e Gestão. O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, também tem participado das discussões, embora continue titular da Secretaria de Articulação Regional.

Geraldo tem reiterado que anunciará o secretariado antes do Natal. Ou seja, tem menos de 30 dias para fazê-lo. Por isso, da conversa com Eduardo brotará o esqueleto da próxima gestão. Além do DNA eduardista, a equipe deverá ter o reforço de quadros do Tribunal de Contas do Estado, instituição da qual Geraldo é servidor há 20 anos e com a qual interagiu na semana passada, deixando “as portas abertas” para futuras convocações.

O socialista ainda estuda uma minireforma administrativa, diminuindo o número de secretarias e reorganizando as missões de cada órgão vinculado à Prefeitura. Com a expectativa de uma redução na quantidade de cargos, pairam dúvidas sobre o espaço que os partidos aliados terão na gestão a partir de janeiro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias