pesquisa jc/ipmn

Opinião: Expectativa, cenários e povo

Adriano Oliveira ? Cientista Político
Adriano Oliveira ? Cientista Político
Publicado em 10/04/2013 às 14:47
Leitura:

A avaliação da gestão de um governante não deve vir desacompanha da expectativa dos eleitores quanto ao futuro e da identificação das principais demandas dos eleitores. A aprovação do governante, a expectativa dos eleitores quanto ao desempenho do gestor e a identificação das demandas eleitorais possibilitam que os estrategistas possam agir no presente e vislumbrar cenários futuros.

A construção de cenários não ocorre apenas em períodos eleitorais. A existência do instrumento da reeleição exige que as estratégias de gestão e de comunicação vislumbrem sempre cenários, dentre os quais, as chances de reeleição ou de derrota do gestor. A reeleição permite que o gestor administre a cidade considerando a perspectiva da reeleição. Em razão disto, os marketings eleitoral e político não mais são atemporais, eles são coincidentes.  

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau (IPMN) revela que 73% dos eleitores têm a expectativa de que o prefeito Geraldo Júlio (PSB) realize uma administração Boa/Excelente. Este dado sugere que 73% dos eleitores confiam e acreditam no prefeito Geraldo Júlio. A pesquisa do IPMN revela também que 57% dos eleitores aprovam a administração do prefeito do PSB e que trânsito, segurança pública e manutenção da cidade são as principais demandas apontadas pelos eleitores de modo espontâneo.

As três variáveis apresentadas – Expectativa, Aprovação da administração e Demandas – revelam que se Geraldo Júlio não atender as demandas apontadas no decorrer do mandato a decepção eleitoral poderá surgir. A decepção eleitoral pode vir a representar o arrependimento eleitoral. Isto é: eleitores se decepcionam com o gestor em virtude de que existia, inicialmente, a expectativa de que ele contemplaria as demandas. Entretanto, diante do não atendimento satisfatório das demandas, eleitores se arrependem da escolha eleitoral realizada.

O raciocínio proposto serve de alerta aos estrategistas de gestão e de comunicação. Pesquisas realizadas pela Contexto Estratégia e IPMN revelam, através de dados empíricos e de premissas da Neurociência e da Antropologia das Emoções, que eleitores se arrependem. Deste modo, estratégias nos âmbitos da comunicação e da gestão devem ser cotidianamente criadas para evitar o arrependimento dos eleitores.

Um ponto importante revelado pela pesquisa do IPMN é que à medida que a renda individual aumenta (a partir de 1 salário mínimo), a aprovação da gestão de Geraldo Júlio também cresce. Então, detecto associação entre duas variáveis: aumento da renda e aumento da aprovação. Este dado, neste instante, não é conclusivo quanto ao desempenho do prefeito do Recife entre os eleitores. Porém, serve de alerta, pois, talvez, estratégias nas áreas de comunicação e de gestão devem ser criadas com o objetivo de dar “Cara de povo” a gestão do PSB.

Adriano Oliveira é cientista político

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias